Trio feminino nos Jogos da China: sonho bem distante

Se a briga por uma vaga na maratona da Olimpíada de Pequim é acirrada entre os homens, a situação entre as mulheres é completamente diferente. Nenhuma atleta atingiu, em 2007, o índice A da prova, que é de 2h37. Apenas três chegam a 2008 com índice B (correram abaixo de 2h42): Marizete Moreira, que não competiu na São Silvestre, lesionada, e Sirlene Pinho, bronze no Pan do Rio, têm 2h39min08. Marily dos Santos, 5ª colocada na prova paulistana, fez 2h39min45.As marcas podem ser obtidas até 11 de maio. Caso nenhuma atleta consiga o índice A, será convocada a corredora que tiver o melhor tempo dentre aquelas com índice B.MÁRCIA NARLOCH NA LUTAMesmo às vésperas da aposentadoria, a catarinense Márcia Narloch, de 38 anos, tentará buscar vaga para a sua 4ª Olimpíada. A atleta está fora das competições desde o Pan do Rio, quando superou a dor de um problema crônico no nervo ciático para garantir a medalha de prata em 2h45min10.Anteontem, praticamente anônima, Márcia acompanhou a colega Isabel dos Santos na São Silvestre - ambas treinam com Jorge Oliveira, o Filé. E disse ao Estado que correrá ao menos uma maratona neste ano para tentar índice. "Vou buscar um lugar em Pequim", afirmou. "Mas se não conseguir, encerro minha carreira com a sensação de dever cumprido."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.