Triplista surpreende e vai ao Mundial

Um salto de 17m13 confirmou o talento promissor do jovem e desconhecido atleta Jadel Gregório, de 20 anos, e garantiu sua vaga na seleção brasileira - ao lado dos medalhistas de prata no revezamento 4x100 m da Olimpíada de Sydney, como Claudinei Quirino - que irá ao Mundial de Edmonton, no Canadá, em agosto. Jadel superou o índice de 17 metros para o salto triplo, fixado pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), e fez a melhor marca do mundo na temporada ao ar livre, que, no entanto, está apenas no começo. O recordista mundial, o inglês Jonathan Edwards (18m29) saltou 17m60 esse ano, mas foi na temporada indoor (pista coberta).A marca de Jadel foi conseguida no II Torneio da Federação Paulista de Atletismo, no fim de semana, no Ibirapuera. Márcio Simão de Souza também obteve o índice para o Mundial, nos 110 m com barreiras, com 13s50.O Brasil teve uma ?escola? de triplistas, entre os anos 50 e 70. Nélson Prudêncio é o representante atual daquela geração, que também teve Adhemar Ferreira da Silva, o único bicampeão olímpico do País, e João do Pulo, que já morreram. Embora conheça essa tradição, Jadel, um garoto de 2m00 de altura e 98 quilos, nem pensa em alguma comparação com esses nomes. "Tenho só 20 anos e preciso ir com muita calma."Mas, desde 1995, nenhum atleta brasileiro conseguia essa marca no triplo, motivo para o técnico Nélio Moura, que treina Jadel, comemorar o salto. Jadel fez 14m10 em sua primeira competição, em 1999. Na segunda, quando veio de Marília para São Paulo, saltou 14m80. E, em seguida, foi campeão sul-americano e medalha de bronze no Pan-Americano Juvenil, saltando 16m18, um dos dez melhores juvenis daquele ano.Nélio ressaltou que o garoto ainda está em formação física e técnica e só faz salto triplo há apenas dois anos - antes disso, saltava em altura e antes ainda, quando começou no atletismo, no Sesi de Marília, corria.Foi parar no atletismo por indicação de uma professora escolar, porque "era bagunceiro, passava o dia correndo e chamando os amigos para o pega-pega".Atualmente, Jadel treina e mora no Ibirapuera (direito que adquiriu por integrar o Programa Olímpico Projeto Futuro, da Secretaria de Esportes e Turismo do Estado de São Paulo). É atleta da Funilense/São Caetano, de quem recebe R$ 700,00 por mês. Estuda publicidade e propaganda e disse que se sente "muito estimulado com sua classificação para o Mundial." Antes de saltar 17m13, a melhor marca de Jadel era de 16m48. Agora, a meta de Nélio é continuar treinando o saltador para o desafio do Canadá. "Se ele conseguir repetir a marca de 17m13 no Mundial de Edmonton, a sua primeira competição adulta importante, ficará entre os 15 melhores e isso será muito bom."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.