Mark Baker/AP
Mark Baker/AP

Tristeza marca a cerimônia de abertura dos Jogos de Inverno

Delegação da Geórgia recebe apoio dos espectadores por conta da morte de Nodar Kumaritashvili, no luge

EFE,

13 Fevereiro 2010 | 01h35

A cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno, em Vancouver, no Canadá, ocorrida na noite desta sexta-feira (horário local), foi marcada pela tristeza por causa da morte do atleta da Geórgia, Nodar Kumaritashvili, assim como um protestos de canadenses contrários aos gastos do governo de seu país - cerca de US$ 6 bilhões - para a realização do evento.

Veja também:

Atleta georgiano morre após acidente em treino de luge

Em respeito à morte do atleta, as bandeiras do Canadá e do Comitê Olímpico Internacional (COI), foram hasteadas a meio mastro, enquanto a pequena delegação da Geórgia desfilou de luto, sob os fortes aplausos das mais de 60 mil pessoas que compareceram ao estádio olímpico.

Nodar Kumaritashvili morreu durante o treinamento na pista Whistler (Assobiador). O georgiano perdeu o controle de seu trenó na última curva e decolou, parando apenas após forte pancada num poste de metal. O atleta de 21 anos foi socorrido imediatamente, mas não aguentou os ferimentos na cabeça. De acordo com os registros do treino, a batida aconteceu quando Kumaritashvili estava a 144 km/h.

PROTESTO

Cerca de mil manifestantes se concentraram a poucos metros do estádio BC Place de Vancouver para protestar contra os Jogos Olímpicos de Inverno que começaram nesta sexta-feira na cidade canadense.

Os manifestantes foram controlados por cerca de 150 policiais para evitar que se aproximem mais do estádio olímpico por temor de que pudessem causar algum tumulto durante a cerimônia de abertura dos Jogos, da qual participam as principais autoridades canadenses assim como do Comitê Olímpico Internacional (COI).

O protesto, contra a despesa de cerca de US$ 6 bilhões nos Jogos e em favor de investimentos sociais, começou no início da tarde nas cercanias da Galeria de Arte de Vancouver.

Dali a multidão se dirigiu lentamente em direção ao estádio o tempo todo controlada de forma próxima por um forte desdobramento policial.

Os organizadores da manifestação, convocada sob o lema "Recuperem nossas ruas", disseram que o protesto foi pacífico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.