Troféu Maria Lenk voltará a São Paulo em 2014

Principal competições de clubes da natação será realizada em abril, na reformada piscina do Ibirapuera

Amanda Romanelli, O Estado de S. Paulo

19 de dezembro de 2013 | 05h03

SÃO PAULO - Depois de 14 anos, o Troféu Maria Lenk, principal torneio do calendário nacional da natação, voltará a ser disputado na capital paulista. O local é o Complexo Aquático Caio Pompeu de Toledo, no Ibirapuera, que começou a ser reformado em 2010 e teve as obras concluídas pelo governo estadual apenas este ano.

 

Segundo Ricardo de Moura, supervisor técnico da natação, a escolha pela piscina do Ibirapuera está certa e será referendada na Assembleia Geral da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), que será realizada em março.

 

"O Maria Lenk voltará a São Paulo em um momento estratégico do calendário. O ano de 2014 é importante para definições no cenário da natação (pensando em 2016)", afirmou Moura. "Além disso, o Ibirapuera tem grande história e São Paulo é um cenário importante na natação brasileira, com cerca de 200 clubes afiliados." O torneio será realizado entre os dias 21 e 26 de abril.

 

Mais do que ressaltar a importância paulista no cenário da natação nacional, a disputa do Maria Lenk em São Paulo resolverá um grande problema para a CBDA: tanto o Parque Aquático Maria Lenk quanto o Julio de Lamare, ambos no Rio, deverão ser fechados para reformas no ano que vem, com vistas para a Olimpíada de 2016.

 

A CBDA pensa em outras novidades para o Maria Lenk. Para 2014, a disputa de provas de maratonas aquáticas deve ser incorporada ao torneio. A ideia inicial é que a competição em águas abertas não valha pontos para os clubes. "Essa proposta ainda precisa ser aprovada no Congresso Técnico, mas a intenção é criar uma aproximação e divulgar as maratonas, já que os atletas também nadam na piscina".

 

Em 2015, a entidade pretende inserir provas paraolímpicas na competição, o que já acontece em torneios disputados no exterior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.