Tropa de Elite

Olá, amigos leitores, o Corinthians conseguiu o retorno à elite do futebol brasileiro depois de uma rodada simplesmente emocionante. Nem tanto pela vitória de 2 a 0 contra o Ceará, mas por ver o ouvido do torcedor colado no radinho acompanhando a derrota do Barueri para o Paraná. Quando o juizão apitou o fim da partida, a emoção tomou conta do Pacaembu. Vou ser bem sincero: chorei duas vezes na minha vida por causa do futebol. A primeira foi em 1993, quando eu ainda jogava pelo Corinthians e perdemos do Palmeiras na final do Paulistão. A outra foi no rebaixamento do Timão no ano passado. Aquilo realmente mexeu comigo e com quem tem um pouco de admiração pela equipe do Parque São Jorge. Até por isso espero que, a partir de agora, o Coringão nunca mais tenha de disputar a Segundona. Chega daquele descaso e roubalheira da diretoria anterior. Agora gente competente está no comando. O Andres Sanchez é, na minha opinião, o grande responsável pela volta por cima. Ele pegou um clube arrebentado, sem moral nenhuma, e foi reconstruindo uma imagem vitoriosa. Tenho certeza de que o Timão virá forte para 2009 e ainda mais forte na temporada seguinte, ano do centenário. Não posso deixar de reconhecer também o bom trabalho do técnico Mano Menezes. Fiz duras críticas ao planejamento do Mano. Mas o técnico gaúcho soube trabalhar com o grupo e possivelmente seja o único treinador do País a conseguir acesso com dois times grandes diferentes. Ele tem de permanecer no clube para o Corinthians seguir trilhando o rumo das vitórias. Os adversários que se cuidem!!!* * * * *Impossível falar do Timão sem lembrar das belas defesas do Felipe, das atuações seguras da dupla de zaga William e Chicão, da desenvoltura do lateral-artilheiro André Santos, do meio-campo cerebral representado pelo camisa 10 Douglas e do ataque guerreiro formado por Dentinho e Herrera. Isso sem contar outros bons jogadores do elenco. Uma autêntica Tropa de Elite. Todos merecem respeito e consideração da torcida. Mas vale ressaltar o trabalho de pessoas humildes, como o do roupeiro Miranda, que está há 40 anos no clube; do outro roupeiro, Edízio; da cozinheira Pacheca e do Marcondes, o porteiro, e de muitos outros trabalhadores. Gente competente que não entra em campo. Profissionais tão guerreiros quanto os jogadores. Parabéns, Corinthians!!! Parabéns, Fiel!!! O retorno à Primeira Divisão é uma conquista de todos. * * * * *Me recuso a falar do Palmeiras na coluna de hoje. É inadmissível um time que disputa o título levar um chocolate como esse para o Fluminense. Em se tratando de Verdão, prefiro lembrar do evento patrocinado pela Suvinil, de que participei sábado no Palestra Itália. Formei um meio-campo ao lado do ídolo Ademir da Guia. Só de ver o Divino tocar na bola deu pra perceber a saudade que ficou no coração dos palmeirenses. Se os jogadores de hoje tivessem 20% da inspiração do Ademir, o Verdão já estaria com a taça na mão. * * * * *A derrota do rival recolocou o São Paulo com força na disputa pelo título Brasileiro. Aliás, seria um inédito tri consecutivo. Esse Tricolor é bem a cara do Muricy. Uma equipe bem postada atrás, que sabe atacar na hora certa. Muita gente critica o treinador por isso. Já vi até o chamarem de retranqueiro. Mas o São Paulo é um dos líderes em números estatísticos. É brincadeira? Portanto, o Muricy é que está certo. Se pra ser o melhor tem de jogar feio, então que jogue feio, oras. COLABOROU RENATO NALESSO

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.