Tumulto em estádio na África mata 22

Tragédia deixa outros 132 feridos, pisoteados antes do jogo entre Costa do Marfim e Malavi

ABIDJÃ, O Estadao de S.Paulo

30 de março de 2009 | 00h00

A goleada por 5 a 0 da Costa do Marfim sobre Malavi ficou em segundo plano, ontem, por causa do tumulto que deixou 22 mortos e 132 feridos antes mesmo de a bola rolar em Abidjã, capital marfinense. A tragédia foi causada pela correria que se seguiu à queda de um portão do Estádio Houphouet-Boigny, com capacidade para 45 mil torcedores. "Espectadores que não haviam comprado ingresso estavam empurrando os outros antes da partida", afirmou o ministro dos Esportes, Dagobert Banzio. "Eles derrubaram um dos portões principais do estádio." Desire Tagro, ministro do Interior do país, declarou em comunicado oficial que o estádio estava superlotado, com torcedores empurrando uns aos outros, o que ajudou a provocar o pânico que resultou em vítimas pisoteadas. Outro fator agravante teria sido a atuação da polícia, que disparou gás lacrimogêneo em meio à confusão. O tumulto começou cerca de 40 minutos antes do início do jogo.Tumultos são comuns nos estádios lotados da África, especialmente em eventos que envolvem as seleções nacionais. No dia 11 de setembro do ano passado, 11 pessoas morreram no desabamento de um estádio na República Democrática do Congo. Em junho, oito torcedores foram mortos em acidente semelhante na Libéria. DENTRO DE CAMPOQuando a bola rolou, a Costa do Marfim mostrou força, liderada pelo atacante Didier Drogba, do Chelsea. Autor de dois gols, Drogba voltou ao time após ficar de fora das primeiras seis partidas da seleção marfinense nas Eliminatórias, por causa de lesão no joelho. A Costa do Marfim abriu o placar no primeiro minuto com Christian Koffi Ndri. Salomon Kalou, companheiro de Drogba no Chelsea, e o atacante Bakary Kone, do Olympique de Marseille, também marcaram. O resultado deixou a seleção na liderança do Grupo E, ao lado de Burkina Faso.O Egito, atual campeão africano, apenas empatou por 1 a 1 no Cairo com a Zâmbia. A Nigéria também ficou no empate sem gols contra Moçambique, jogando fora de casa. Em Kumasi, Gana conseguiu uma vitória magra, por 1 a 0, sobre Benin, com gol do atacante Prince Tago e logo no primeiro minuto e chegou à liderança isolada do Grupo D.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.