Tunisianos e egípcios brigam por vaga no Mundial

Vencedor da Liga dos Campeões da África, que pode encarar o Corinthians na semifinal, sairá neste sábado

O Estado de S.Paulo

15 de novembro de 2012 | 02h07

A torcida do Corinthians vai conhecer no sábado um dos possíveis adversários da equipe alvinegra na semifinal do Mundial de Clubes do Japão, no mês que vem. Em Túnis, capital da Tunísia, o Esperance vai receber o Al Ahly, do Egito, precisando apenas de um empate por 0 a 0 para conquistar o bicampeonato da Liga dos Campeões da África e, assim, garantir-se no torneio organizado pela Fifa.

A primeira partida decisiva foi disputada no dia 4, na cidade egípcia de Alexandria, e terminou 1 a 1. O resultado foi ruim para o Al Ahly, mas poderia ter sido pior. Isso porque a equipe da casa estava atrás no placar e só conseguiu o empate a poucos minutos do fim.

No sábado, o Al Ahly precisará vencer o Esperance ou conseguir um empate por 2 a 2 ou mais. Um novo resultado de 1 a 1 levará a decisão do título para a prorrogação e, se for necessário, para a disputa de pênaltis.

Atual campeão, o Esperance tenta obter seu terceiro título da Liga dos Campeões - o primeiro foi ganho em 1994. No ano passado, em sua primeira participação no Mundial, o time da Tunísia foi uma decepção. Na estreia, caiu diante do Al Sadd, do Catar, e teve de se contentar com a disputa do quinto lugar, que perdeu para o Monterrey, do México.

Poder. O Al Ahly, por sua vez, é o clube mais poderoso da África. Maior vencedor da Liga dos Campeões, com seis títulos, o time egípcio já apareceu três vezes no Mundial - em 2005, 2006 e 2008. A melhor participação foi a de 2006, quando terminou em terceiro lugar (perdeu para o Internacional na semifinal e venceu o América, do México, na decisão da terceira colocação) e teve o artilheiro da competição, o atacante Aboutrika - que, aos 34 anos, continua sendo um dos destaques da equipe.

Apesar da grandeza do Al Ahly, chegar à final da Liga foi quase um milagre. Isso porque o futebol do Egito está sem atividades desde fevereiro, quando uma partida entre a equipe mais popular do país e o Al Masry, na cidade de Port Said, terminou em uma tragédia que matou 74 pessoas.

Japonês. Depois do campeão africano, faltará só um time para fechar o quadro de participantes do Mundial: o vencedor do Campeonato Japonês, que entrará como representante do país-sede. Faltam três rodadas para o fim do torneio e a disputa é entre Sanfrecce Hiroshima e Vegalta Sendai, que está dois pontos atrás do rival. O campeão do país anfitrião vai estrear no Mundial contra o Auckland City, da Nova Zelândia, e, se vencer, jogará contra o time da África.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.