Turfe: Marcelo Almeida vence GP Brasil

Quando cruzou o disco final, um filme de dois anos atrás passou pela cabeça de Marcelo Almeida. No dorso de Velodrome, o jóquei conquistou a edição 2005 do GP Brasil (G.I), neste domingo, na Gávea, da mesma maneira que o fizera em 2003, com Lord Marcos: com extrema perícia, largou forte e esperou a hora certa para a arrancada final e surpreender os favoritos.Pestanita largou bem, e, surpreendentemente, dominou a prova, com tranqüilidade, até os metros finais. Deuteronomio e Velodrome seguiram o ritmo e permaneceram, respectivamente, em 2.º e 3.º lugares. O bloco da frente abriu incrível diferença de quase 15 corpos sobre o pelotão de trás, liderado por Sinistro. O favorito Evil Knievel perdia terreno, encaixotado entre vários competidores, e corria somente em 9.º lugar.Na entrada da reta final, parecia que nada tiraria o triunfo de Pestanita. O jóquei Antônio Fernandes apenas administrava a vantagem, mas não percebeu que Velodrome começava a reagir, por fora. Valeu a perícia de Marcelo Almeida. A 100 metros da linha de chegada, o jóquei deu a partida no cavalo de seis anos de criação e propriedade do Haras Dar-El-Salam, que rapidamente respondeu. Primeiro, deixou Deuteronomio - que terminou apenas em 4.º lugar - para trás, e foi para cima de Pestanita. Nos metros finais, os dois animais ficaram emparelhados e a chegada, emocionante. Nas últimas passadas, o filho de Booming e Licena por Derek mostrou muita força, e chegou meio corpo a frente do adversário, com tempo de 2min26s300.Nos metros finais, Sinistro se recuperou e chegou em 3.º, Deuteronomio foi o 4.º e Evil Knievel, decepcionando, chegou em 5.º lugar. Valeu a perícia de Marcelo Almeida, que, a exemplo do que ocorrera com Lord Marcos, vence a principal prova do turfe nacional, com um animal que não estava entre os mais cotados - o rateio do campeão foi de R$ 19,90.O triunfo também foi especial para o treinador Venâncio Nahid, que, ao festejar com Velodrome, apagou dois recentes momentos de tristeza: até julho, cumpriu suspensão de nove meses e perdeu o cavalo McBeth, campeão do GP São Paulo deste ano, que teve de ser sacrificado após grave lesão em treinamento. Foi o 2.º GP Brasil conquistado por Nahid, que venceu em 1991, com Flying Finn.Paulistas - Em chegada emocionante, o paulista Setembro Chove (Nelito Cunha) confirmou o favoritismo (2,40) e conquistou o GP Presidente da República (G.I), em 1.600 metros (grama). O cavalo do Stud Chesapeake, treinado por Pedro Nickel Filho, atropelou por fora nos metros finais e, por pescoço, venceu com tempo de 1min33s900. Pronasteron, também de São Paulo, chegou em segundo lugar.Nos outros clássicos do festival da Gávea, no Sábado, o recordista mundial de vitórias Jorge Ricardo venceu o Clássico Breno Caldas (L), com Golden Mountain, e o GP Roberto e Nelson Grimaldi Seabra (G.I), com Magic Lamp. Heart Alone (E.Ferreira) venceu o GP Major Sukow (G.I).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.