"Tyson Filipino" surpreende mexicano

O boxeador filipino Manny Pacquiao surpreendeu o mexicano Marco Antonio Barrera, sábado à noite, em San Antonio, Texas, ao vencer por nocaute no 11º assalto. O juiz Laurence Cole paralisou o combate aos 2min56. O duelo foi válido pela categoria dos penas, mas não havia nenhum título em jogo. O canhoto Pacquiao, de 24 anos, campeão mundial dos supergalos da Federação Internacional de Boxe (FIB), fez sua segunda luta entre os penas. O ?Tyson filipino? esteve desde o início mais rápido e não se intimidou com a fama de Barrera, apontado como o melhor peso pena da atualidade. Barrera, de 29 anos, passou boa parte da luta encurralado nas cordas, sofrendo com o ataque contínuo de Pacquiao, que castigou muito a cintura do mexicano. ?Me surpreendeu a resistência dele. Desde o início percebi que tinha chances de nocauteá-lo?, afirmou o filipino, que soma 38 vitórias (30 nocautes), 2 derrotas e um empate. Rudy Pérez, técnico de Barrera, espera que esta tenha sido a última luta de seu pupilo. ?Foi uma má noite para Marco. A decisão é dele, mas espero que não queira voltar a lutar.? Barrera soma 57 vitórias (40 nocautes), quatro derrotas e um empate. Pacquiao conectou 257 golpes potentes, contra 101 de Barrera. Após dez roundes, dois jurados apontavam o lutador filipino como vencedor (97 a 90) e o outro assinalava com 97 a 89. Barrera foi à lona duas vezes. No terceiro assalto, após uma forte esquerda - que o deixou com o supercílio esquerdo bastante inchado -, e no 11º. No primeiro round, o juiz abriu erradamente a contagem para Pacquiao, após uma queda acidental. Outro erro do juiz ocorreu no quinto assalto, quando não considerou queda de Barrera. No sétimo round, Barrera deu esperanças aos seus torcedores ao conectar duas direitas perfeitas, que estremeceram a cabeça do oponente. ?Estava mal preparado e me faltou concentração. Não consegui acertá-lo com força?, afirmou Barrera, que enalteceu a garra do adversário. ?Antes de tomar qualquer decisão, quero conversar com Oscar De La Hoya (promotor do combate) para conseguir a revanche.? Uma segunda luta está prevista no contrato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.