Ullmann vence Brasileiro de Hipismo

Com uma égua emprestada (La Vida do MM) e ?Botas furadas da sorte?, o cavaleiro Rodrigo Ullmann Lima entrou na pista da Sociedade Hípica Paranaense para disputar o Campeonato Brasileiro Sênior Top. Saiu dela, neste domingo, feliz da vida com seu primeiro título na categoria e o automóvel Audi A3 que ganhou com a conquista, o qual fez questão de estrear fazendo cavalos-de-pau na volta da vitória, tendo o presidente brasileiro da empresa, Frank Fegieth, como co-piloto. Rodrigo, atual bicampeão carioca, ganhou seu primeiro título nacional após três dias de provas em Curitiba. Teve de superar seus principais adversários, o também carioca Fábio Leivas da Costa (Dumbo de Chapelle), vice-campeão, e a paulista Cláudia Itajahy (Unibanco AIG Rodobens Van Gogh), que ficou na terceira posição. Na pontuação geral, Rodrigo teve menos 16,2 pontos, Fábio, 20,41, e Cláudia, 31,02. ?Foi um percurso alto e difícil?, avaliou, com uma ponta de humor, o cavaleiro, que faz 34 anos nesta segunda-feira, sobre a pista montada pelo belga Eugene Mathy. Apesar de o Brasileiro servir como seletiva dos observadores da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) para as disputas européias que definirão a equipe brasileira no Mundial, marcado para setembro em Jerez de La Frontera, Espanha, Lima afirmou que não deverá viajar. ?Tanto meu cavalo, LR Miniou, quanto La Vida do MM são muito novos para o Mundial, mas pretendo prepará-los para os Jogos Pan-Americanos, no ano que vem.? Lima explica que sua parceria com La Vida do MM aconteceu por acaso. ?Miniou se contundiu antes do Carioca e peguei a égua emprestada de uma aluna, Shanna Garcia, para competir. Com ela ganhei lá e agora aqui?, afirmou, lembrando que a parceria com a montaria começou há um mês. Na premiação, o cavaleiro tentava, sem jeito, esconder os furos nos lados laterais internos da bota. ?Uso porque ela me dá sorte na pista, depois eu troco?, explica. ?Elas são confortáveis e como o couro nas laterais é mais fino, tenho mais sensibilidade para sentir o animal.? A vitória de Lima só foi decidida em sua segunda passagem pela pista, onde teve de superar obstáculos de 1,60 metro. O cavaleiro, que havia completado o primeiro percurso sem cometer faltas, terminou o segundo com apenas um obstáculo derrubado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.