Ultramaratona: paixão pelo esporte

Por volta das 17h30, o contador José Adauto de Paiva, de 43 anos, arruma a mesa do escritório no centro da cidade, desliga o computador e sai em direção ao Parque do Ibirapuera, onde, todas as noites, tem um compromisso inadiável. Também na região central, no meio da manhã, o músico aposentado da Orquestra Sinfônica Municipal Gustave Busch, de 73 anos, calça o tênis, veste uma roupa leve e, carregando como acessório de vestimenta tornozeleiras de um quilo, sai correndo pelas ruas e parques da cidade.Há quem chame Paiva e Busch de loucos, mas eles garantem que não estão nem um pouco preocupados com o que dizem a seu repeito. "Se passo um dia sem correr, parece que está faltando alguma coisa na minha vida", diz o músico. Ele é destaque, pela disposição e paixão pelo esporte, em um grupo seleto que causa surpresa nos interlocutores quando é a modalidade que praticam: a ultramaratona.Leia mais no Estadão

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.