Um bronze com sabor de desabafo

Juliana Veloso, 3ª na plataforma, diz não estar acabada

Michel Castellar, O Estadao de S.Paulo

07 de julho de 2026 | 00h00

Nada melhor do que uma medalha para o atleta desabafar, falar tudo o que sente. E Juliana Veloso, ao conquistar o bronze na plataforma de dez metros, ontem à tarde, no Parque Aquático Maria Lenk, não fugiu à regra. Disse que terminar no terceiro lugar era a resposta para todos aqueles que a consideravam ''''acabada'''' para o esporte.''''Dois meses antes de iniciar o Pan, estava desmotivada. E muita gente falou que eu estava velha e acabada'''', desabafou Juliana. ''''Mesmo assim, consegui recuperar minha alegria, junto de meus familiares'''', disparou. ''''Neste período troquei de treinador (Francisco Ferrer) e falaram que estava louca. Só porque minha técnica (Andréia Boeme) não tem experiência internacional'''', afirmou.Feito o desabafo, Juliana era só festa pela medalha de bronze, apesar de na edição passada dos Jogos, em Santo Domingo/2003, ter conquistado a prata na prova.Nem mesmo o fato de antes do início do Pan ter reclamado da qualidade do piso da plataforma, posteriormente trocado, tirou o seu bom humor. ''''Muita gente tem medo de falar a verdade. Tem mesmo medo de falar a verdade. O chão estava ruim'''', seguiu na bronca. ''''Não vou falar que a troca me deu a medalha, mas aumentou minha confiança'''', frisou Juliana.Na prova, a medalha de ouro foi conquistada pela mexicana Paola Espinosa, com 380.95 pontos, seguida pela norte-americana Haley Ishimatsu, com 364.60. Juliana somou 356.25. A outra brasileira na disputa da prova, Milena Sae, terminou na décima posição com 267.40.Juliana destacou que a surpresa da competição foi o quarto lugar obtido pela canadense Emilie Heymans, atual campeã mundial. Por isso, destacou que na prova de saltos o mais importante é o ''''momento'''' do atleta.Hoje, o Brasil terá a chance de aumentar sua coleção de medalhas. Os atletas do País competirão na final da plataforma de dez metros sincronizado, na qual serão representados por Milena Sae e Evelyn Winkler. Os homens disputarão a prova de saltos no trampolim de 3 metros individual: Cassius Duran e César Castro.Ontem, Duran e Castro ficaram na sexta e última colocação na prova de trampolim de três metros sincronizado. Os dois não se mostraram decepcionados com o resultado. A vitória na disputa foi dos americanos Mitchell Richeson e Troy Dumais, seguidos pelos cubanos Erich Fornaris e Jorge Betancourt, e os canadenses Alexandre Despatie e Arturo Miranda.''''Era o que dava para fazer. Infelizmente, moro no Rio e ele em Brasília. Não treinamos juntos. Só há dez dias passamos a treinar'''', destacou Duran. ''''Se tivéssemos mais tempo de treino, seríamos bem melhor.''''

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.