Um empate com sabor amargo para o Milan no dérbi

No confronto com a Inter o time saiu na frente, perdeu várias chances e acabou levando o gol

MILÃO, O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2013 | 02h07

A falta de precisão nas finalizações impediu o Milan de ganhar o dérbi de ontem contra a Inter. O time perdeu várias chances claras para marcar e no final teve de se conformar com o empate por 1 a 1 diante de um adversário que pouco o ameaçou.

O personagem do jogo era Balotelli. O atacante enfrentava a Inter (clube que o revelou) pela primeira vez com a camisa do Milan, e por isso não teve paz. Toda vez que tocava na bola era vaiado com vontade pela torcida da Inter, que ocupava 90% do estádio porque o time era o mandante do clássico.

Ele poderia ter dado o troco decidindo o jogo, mas não estava numa noite feliz. Autor de quatro gols nas três primeiras partidas que disputou pelo Milan, ontem ele não conseguiu colocar a bola na rede. Em parte por sua culpa e em parte por méritos do goleiro Handanovic, que lhe negou o gol com duas grandes defesas no primeiro tempo quando o placar já mostrava 1 a 0 para o Milan - gol de El Shaarawy aos 21 minutos.

Quando o árbitro encerrou o primeiro tempo a torcida da Inter deve ter respirado aliviada, porque era para o time ter ido para o vestiário perdendo por uma diferença maior.

No segundo tempo o time melhorou um pouco, mas sem criar muitas chances. O gol de empate foi marcado aos 26 minutos por Schelotto, que havia acabado de entrar no lugar de Cambiasso.

França. O Paris Saint-Germain teve ontem uma noite perfeita. Lucas fez seu primeiro gol pelo clube, o artilheiro Ibrahimovic marcou mais um, o inglês David Beckham estreou sob aplausos e o time derrotou o Olympique de Marselha por 2 a 0, resultado que o manteve na liderança com três pontos de vantagem sobre o Lyon. A distância para a equipe de Marselha, que está em terceiro lugar, aumentou para oito pontos.

Lucas levou muita sorte em seu gol. Ele chutou de fora da área, a bola desviou em dois adversários e enganou o goleiro. O gol de Ibra, já nos acréscimos do segundo tempo, também saiu num lance de sorte. Ménez cruzou forte, a bola bateu em seu joelho e entrou.

Beckham jogou os 15 minutos finais em lugar do meia argentino Pastore e deixou claro que sentiu muito a falta de ritmo (não jogava desde dezembro).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.