Um jogo com enorme tradição e bons atletas. Mas que não vale nada

Santos e São Paulo se enfrentam embalados. O time da Baixada ainda não perdeu em 2011 e tem mostrado um jogo alegre, com gols, mesmo sem Neymar e Ganso. O da capital não encanta, mas vem de boa vitória e tem uma ponta de esperança com a chegada de Rivaldo. O clássico teria tudo para entusiasmar. Mas não empolga. Claro que ganhar de um rival sempre é bom, tem gostinho diferente, anima as discussões de segunda-feira. Mas com empate ou vencedor, placar magro ou goleada, o resultado (quase) não terá importância para o campeonato.

Análise: Eduardo Maluf, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2011 | 00h00

Por que esse Sansão não vale nada? Por causa do regulamento. E assim será com Corinthians x Palmeiras, Santos x Corinthians... O atual formato apaga o interesse da 1.ª fase, principalmente quando ela é longa como agora. Para que tantas rodadas, com um monte de equipes fracas sem chance de brigar por nada? Com oito classificados para o mata-mata não há risco de um dos quatro "grandes" ser eliminado - e a vantagem de se classificar em 1.º ou 2.º lugar é mínima. Santos, São Paulo, Palmeiras e Corinthians vão avançar às quartas de final sem susto, mesmo que um ou dois times do interior surpreendam. O Paulista deste ano tornou os primeiros três meses de competição sem graça para o trio de ferro e os santistas. Diferentemente do que costuma ocorrer com os pontos corridos, que fazem de cada jogo uma decisão.

Que Santos e São Paulo, assim, façam um grande "amistoso" para o torcedor em Barueri.

É EDITOR DE ESPORTES DO "ESTADO"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.