Um presente dos jogadores ao chefe Muricy

Elenco dedica a vitória ao treinador que completou ontem no clássico 100 jogos no comando do time do Santos

SANCHES FILHO / SANTOS , ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2012 | 03h04

A vitória contra o Corinthians foi um presente dos jogadores para o comandante Muricy Ramalho, que ontem completou o seu 100º jogo na direção do Santos. O treinador considerou o jogo excelente e se mostrou satisfeito não apenas com o resultado, mas também pelo bom futebol apresentado por Ganso, Neymar, Patito e André, mas negou que tenha sido vingança pela desclassificação do time na Taça Libertadores.

"Não falei nenhuma vez em vingança na preleção. Foi um clássico aberto e os dois times estão de parabéns", disse Muricy, que se esquivou no erro da arbitragem a validar o segundo gol santista com triplo impedimento. "De onde eu estava não dá para falar."

Cautela. Mas, apesar da segunda vitória seguida após o retorno de Neymar e Ganso, Muricy acha que é cedo para falar sobre as possibilidades de o Santos ainda brigar pelo título do Campeonato Brasileiro ou pelo menos se classificar para a Libertadores da América de 2013.

"A gente abriu mão do Brasileiro no começo e agora a recuperação fica difícil porque é preciso analisar os times que estão na frente e que têm elenco muito bom", disse o técnico. Ele também aponta o desmanche promovido pela diretoria, com a saída de três centroavantes - Borges, Alan Kardec e Rentería - e de outros titulares para o time ter demorado a engrenar.

André atribuiu a boa atuação e os dois gols que marcou na vitória por 3 a 2 ao fato de o clássico ter sido em casa. "Na Vila Belmiro eu me sinto mais à vontade." O atacante foi festejado pelos companheiros e, quando saía de campo, foi beijado no rosto pelo parceiro Neymar. Mas, Muricy cobra mais do atacante.

"André ainda não está em plena forma porque ficou muito tempo na reserva no Atlético Mineiro. Ele sabe disso e sabe precisa melhorar. Mas, dentro da área é perigosíssimo e até poderia até ter definido o jogo antes", destacou. O primeiro gol de André foi o 100º do Santos na temporada.

Elogios ao craque. Embora não tenha marcado gol no clássico, Neymar foi elogiado por Muricy. "Se a gente analisar, também na seleção brasileira ele jogou bem porque fez gols e deu passes para conclusões de companheiros. Claro que há cobrança quando se perde título e que o fera é o mais criticado. Mas, nada está mexendo com ele. Tanto que teve aquele voo longo, ele dormiu só meia hora e arrebentou com o jogo em Florianópolis", disse Muricy

O jogador que mais comemorou a vitória santista no clássico foi o capitão Léo. "O resultado não foi achado. Construímos a vitória, num jogo de duas equipes de qualidade. E vamos ser verdadeiros e coerentes: no futebol, o Santos sempre foi muito mais time que o Corinthians."

Com uma lesão na panturrilha direita, Léo vai desfalcar o time contra a Universidad de Chile, quarta-feira à noite, em Santiago, pela Recopa, entre os campeões da Libertadores e da Sul-Americana de 2011.

No Campeonato Brasileiro, o próximo jogo é o clássico contra o Palmeiras, sábado, no Pacaembu. Muricy Ramalho espera contar com Paulo Henrique Ganso, que abriu negociação com o São Paulo (leia mais na pág. 3) e pode deixar a Vila Belmiro nos próximos dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.