'Uma parte da torcida estava misturada. Não tinha rivalidade'

Uma parte da torcida do Corinthians estava misturada com a do San Jose. Não tinha rivalidade, rixa. Oruro é uma cidade pequena, com um povo simples, hospitaleiro. Quando saiu o gol, eu estava em uma parte mais baixa da arquibancada, olhando para cima. A hora que começou a subir o bandeirão para cobrir a torcida, saiu o sinalizador. Na sequência, o bandeirão desceu e a torcida deles ficou brava, começou a chamar a gente de assassino, jogar coisas em cima da gente, pedaço de comida, tênis, pilha... Tinha bastante policiamento e chegou uma quantidade ainda maior de policiais. A situação acalmou, mas no intervalo eles voltaram a nos chamar de assassinos bem mais forte e, então, chegaram mais policiais para investigar. Eu nem sabia que o sinalizador tinha acertado alguém e que essa pessoa tinha falecido. Depois, fui à delegacia e vi que os torcedores estavam em uma espécie de quarto. Lá tinha uma televisão e foi quando eles ficaram sabendo que o sinalizador tinha matado uma pessoa. Não teve hostilidade. Em nenhum momento os policiais foram severos. Eles apenas estavam fazendo o papel deles, colhendo os dados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.