Uniformizadas voltam a protagonizar confusão

SANTOS

, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2010 | 00h00

Falar em paz de torcidas em clássico é enxugar gelo. Toda vez acontece a mesma coisa: as principais ocorrências policiais são por causa de brigas entre rivais. Ontem, em menor intensidade, mas não menos graves. Quatro torcedores santistas foram presos antes da partida, todos da Torcida Jovem. Estavam na Rua José de Alencar, perto da entrada dos são-paulinos, atirando objetos nos que aguardavam a chegada do ônibus do clube.

Quem atendeu à ocorrência foi o capitão Alexandre, que encaminhou os quatro torcedores, todos notadamente alcoolizados, para a delegacia. Um deles, que estava com corte na cabeça e com sangue por todo o rosto, chamava os policiais para a briga. A confusão só não foi maior porque a parte maior da torcida organizada do time da capital ainda não tinha chegado ao estádio.

Dentro da Vila Belmiro, o clima também foi quente entre os torcedores. Trocas de provocações, todas seguidas de palavrões impublicáveis, deram a tônica das arquibancadas. Alguns são-paulinos tiveram de ser contidos pela PM e só não foram presos graças à turma do deixa-disso. Cabisbaixos com a eliminação do time, eles deixaram o estádio às 19 horas, reclamando da demora na liberação.

Os torcedores também mostraram indignação com a ação de cambistas. Quatro ambulantes acabaram sendo agredidos.

Descontração. O clima ficou mais leve após a entrada em cena dos mascotes. Enquanto o são-paulino levava a torcida ao delírio cada vez que simulava fisgar a baleia adversária, o santista respondia ao aplicar um cartão vermelho no visitante. / F.H. e S.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.