Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Usain Bolt brinca com crianças e joga futevôlei no Rio antes de exibição

Jamaicano participa de evento com 23 crianças do projeto Miratus, na comunidade de Chacrinha, zona oeste do Rio de Janeiro

RONALD LINCOLN JR., O Estado de S. Paulo

16 de agosto de 2014 | 15h38

O sábado de céu nublado, mar em ressaca e areia vazia na praia do Leme não impediu o velocista Usain Bolt de "tirar onda" no Rio de Janeiro. O campeão olímpico correu e brincou com crianças de comunidades cariocas, tentou sambar e mostrou desenvoltura ao jogar futvôlei na areia. O jamaicano disputa no domingo uma prova de exibição de 100 metros no mesmo local.

De folga da pista na véspera do desafio, Bolt foi à praia do Leme para participar de promoções de seus patrocinadores. Em uma delas, ele conheceu 23 crianças do projeto Miratus, uma ONG que atua na comunidade da Chacrinha, na zona oeste, ensinando de graça badminton para crianças, formando até atletas de alto rendimento. Uma dessas maneiras de o projeto ensinar badminton utiliza a dança. Por isso, as crianças fizeram uma apresentação para o atleta, que tentou, em vão, acompanhar o ritmo do samba.

"Descobri que ele é uma pessoa muito boa", contou Rafael Rosa de Melo, de 8 anos de idade, em sua cadeira de rodas. "Gostei mais quando ele dançou samba. É a primeira vez que ele dança, então pode crer que eu sambo melhor", gabou-se o jovem atleta que, segundo seu professor Aleksander Silva, tem desenvolvido melhor sua capacidade motora desde que começou a praticar o badminton.

O homem mais rápido do mundo também disputou uma corrida com cerca de 90 crianças dos morros do Chapéu Mangueira e Babilônia, localizadas em Copacabana, e do bairro suburbano de Honório Gurgel. Para as crianças, ele deu uma colher de chá e foi facilmente vencido. A campeã foi Kailane de Oliveira, de 11 anos, aluna de futebol do Sesi Cidadania, projeto que dá aulas gratuitas para crianças moradoras de favelas com Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

Por fim, o jamaicano foi até a areia para disputar uma partida de futvolêi, e demonstrou que leva jeito com a bola nos pés. Cabeceou, deu passes com o calcanhar, de chaleira e praticamente não deixou a bola cair. Bolt já declarou que quer se dedicar ao futebol quando se aposentar do atletismo.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio 2016atletismoUsain Boltexibição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.