Albert Gea/Reuters
Albert Gea/Reuters

Usain Bolt é eleito atleta do ano da Iaaf pela quarta vez

Jamaicano superou o meio-fundista marroquino Hicham El Guerrouj, que era o recordista com três prêmios consecutivos: 2001, 2002 e 2003.

AE, Agência Estado

24 de novembro de 2012 | 11h49

BARCELONA - Se nas pistas Usain Bolt continua faturando medalhas de ouro, longe dela o jamaicano coleciona prêmios. Neste sábado, a Associação Internacional de Federações de Atletismo (Iaaf) anunciou o recordista mundial dos 100 e 200 metros como Atleta do Ano pela quarta vez, feito inédito desde que a premiação foi criada, em 1988.

O troféu foi entregue a Bolt em uma premiação realizada em Barcelona, e logo após a cerimônia o jamaicano utilizou sua página no Twitter para comemorar. "A quarta vez é uma sensação diferente. Atleta do Ano da Iaaf em 2012. Agradeço a Deus, meus pais, meu técnico e todos os fãs", escreveu.

Os outros finalistas deste ano eram o norte-americano Aries Merritt e o queniano David Rudisha. Com os prêmios conquistados em 2008, 2009 e 2011, Bolt se torna o único da história a ser Atleta do Ano em quatro oportunidades. Antes, o meio-fundista marroquino Hicham El Guerrouj era o recordista, com três prêmios consecutivos: 2001, 2002 e 2003.

Bolt de fato teve um ano inesquecível em 2012, principalmente por seu desempenho na Olimpíada de Londres. Ele se tornou bicampeão olímpico nas provas dos 100 e 200 metros, além de fazer parte da equipe dos 4x100m, que também conquistou a medalha de ouro pela segunda vez consecutiva.

Se o jamaicano domina a premiação no masculino, Allyson Felix foi eleita a Atleta do Ano pela primeira vez em 2012. Ela também se destacou na Olimpíada de Londres, conseguindo três medalhas de ouro: nos 200 metros, nos 4x100m e nos 4x400m. As outras finalistas eram a neozelandesa Valerie Adams e a britânica Jessica Ennis.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoUsain BoltAllyson FelixIaaf

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.