Vaidisova pode igualar feito de Sharapova na França

A mais nova sensação do tênis é a checa Nicole Vaidisova. Com apenas 17 anos pode repetir o feito de Maria Sharapova, que com a mesma idade, ganhou um título de um Grand Slam, em Wimbledon 2004. As semelhanças não param aí. É também muito bonita, cabelos loiros, 1,83 metro e 63 quilos, rosto de traços fortes e simétricos. Na quadra, não deixa dúvidas de seu talento.Nas últimas rodadas, derrotou a número 1 do mundo, Amelie Mauresmo - por 6/7, 6/1 e 6/2, e nesta terça-feira, venceu a ex-líder do ranking, a norte-americana Venus Williams, por um placar muito similar, 6/7, 6/1 e 6/3. Conquistou a primeira vaga de uma semifinal de um Grand Slam de sua carreira e está a dois jogos de tornar-se a campeã de Roland Garros.?Estou feliz por estar jogando muito bem, mas tenho de pensar apenas no meu próximo jogo?, disse Vaidisova, que enfrentará nesta quinta-feira a russa Svetlana Kuznetsova, que eliminou a compatriota Dinara Safina por 7/6 e 6/0.Com uma história muito parecida com a de Maria Sharapova, pois ambas são bonitas, vindas do Leste Europeu e se formaram na academia de Nick Bollettieri, na Flórida, Estados Unidos, a nova estrela do tênis feminino, não se importa com comparações com a musa russa. ?Essas comparações realmente não me aborrecem. Maria (Sharapova) quando apareceu também era comparada com Anna (Kournikova)?, concluiu Vaidisova.A história de vida de Nicole Vaidisova não tem, porém, as agruras e sofrimentos de Sharapova, nascida na Sibéria e deixada como uma criança abandonada em um cesto à porta da academia de Nick Bollettieri, onde foi descriminada e sentiu aausência dos pais por muitos anos.Nicole jamais se separou por muito tempo da família. Aliás, nasceu na Alemanha, onde viveu até os seis anos, pelo fato de seus pais terem se transferido por oportunidade de trabalho. Depois, a família voltou para a República Checa, onde Nicole começou a jogar no Sparta Club e passou a alternar períodos de treinamentos nos Estados Unidos, justamente deixando seu país no inverno, aproveitando o bom clima da Flórida. Além de Vaidisova x Kuznetsova, as semifinais femininas desta quinta-feira Justine Henin-Hardenne, que ganhou de Anna-Lena Groenfeld, por 7/5 e 6/2, e Kim Clijsters, que foi muito forte para Martina Hingis e a eliminou por 7/6 e 6/1. No masculino, em mais uma importante vitória, Roger Federer ganhou de Mario Ancic, por 6/4, 6/3 e 6/4. Vai desafiar agora, pelas semifinais, um adversário difícil para quem perdeu na final do Masters Cup de Xangai, o argentino David Nalbandian, que eliminou o russo Nikolay Davydenko por 6/3, 6/3, 2/6 e 6/3.No juvenil, segue apenas uma brasileira, Roxane Vaisemberg, que superou graves problemas com cãibras, justamente no último game, para eliminar Julia Cohen por 7/6 e 6/4. Teliana Pereira perdeu para Anastásia Pavlychenkova, por 6/4 e 6/0. No masculino, Daniel Silva perdeu para Michal Konecny por duplo 6/2.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.