Jose Patricio/AE-25/8/2011
Jose Patricio/AE-25/8/2011

Valdivia fecha com Catar e deixa Palmeiras

Insatisfeito com Felipão e alegando bronca dos palmeirenses, chileno assina contrato amanhã com o Al Sadd

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

08 de setembro de 2011 | 00h00

Valdivia não é mais jogador do Palmeiras. Até amanhã ele assina com o Al Sadd. O negócio foi fechado ontem e falta apenas a assinatura do contrato para ser oficializado o negócio.

Na noite de terça-feira, o jogador se reuniu com representante do clube do Catar e pediu um salário um pouco maior do que lhe havia sido oferecido. Ontem, recebeu a notícia de que sua proposta foi aceita. Wilson Bellissi, representante do agente Fifa Najim Mohamad, que é quem negocia a transferência, está no Brasil desde ontem e entre hoje e amanhã senta com o jogador para assinar o contrato.

Valdivia será vendido por 8,25 milhões (R$ 15,1 milhões) - o Palmeiras vai ficar com 5,5 milhões (R$ 12,9 milhões) e o restante iria para o Al Ain (ex-clube de Valdivia). Ele será comprado pelo Comitê Olímpico do Catar, que vai repassá-lo ao Al Sadd. Além de Bellissi, outro brasileiro que participou da negociação foi João Celso Moraes, responsável por conversar com o presidente do Palmeiras, Arnaldo Tirone.

Valdivia fez 40 jogos desde a sua volta, em agosto do ano passado. Ele se envolveu em várias polêmicas. Em maio, Tirone disse, em entrevista ao Estado, que o meia era um péssimo negócio.

Atualmente, o jogador se recupera de uma lesão na coxa que o afasta dos gramados por um mês. Caso ficasse, faria, no máximo, só mais dez jogos pelo time, o que facilitou a negociação.

Ensaio para o adeus. Ontem, Valdivia postou em sua página no Twitter um link para uma matéria de um jornal chileno com as mesmas informações divulgadas pelo Estado na edição de terça-feira. "Vejam esse link e tirem suas próprias duvidas", escreveu. Depois, colocou duas mensagens de palmeirenses lhe xingando, dando a entender que poderia sair por causa das críticas. / COLABOROU MARCIUS AZEVEDO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.