Valdivia volta para comandar o Palmeiras

Comissão técnica celebra o bom início de ano e aposta no projeto feito para que o chileno não se machuque e volte a ser protagonista

DANIEL BATISTA, O Estado de S.Paulo

26 de janeiro de 2014 | 02h05

O começo do ano tem sido de muito otimismo para o torcedor palmeirense. A equipe venceu as duas partidas que disputou até aqui e bons reforços estão chegando. Hoje, o desafio é mais uma vez fora de casa, desta vez contra o Atlético Sorocaba, e com a presença de Valdivia, que precisa mais do que nunca honrar a fama de ídolo da equipe.

Um projeto especial foi elaborado para que o chileno estreasse só na terceira rodada do Paulista, depois de um intenso trabalho de fortalecimento muscular preventivo contra as constantes lesões. A diferença em relação aos últimos anos é que não faltam motivos para ele se dedicar e dar o retorno tão esperado pelos torcedores.

O técnico da seleção chilena, Jorge Sampaoli, está de olho no jogador. O treinador, assim como Gilson Kleina, vê Valdivia como fundamental para a Copa do Mundo, mas só se ele estiver bem fisicamente. E, no Palmeiras, pela primeira vez ele tem uma sombra.

Com a chegada do meia Bruno César, Valdivia precisa dar retorno, caso contrário, a torcida e Kleina podem concluir que ele deixou de ser tão importante assim. O técmico fez mistério e só garantiu que o chileno joga, mas sem assegurar se começa como titular ou não, mas a tendência é que ele saia jogando. "Isso é o planejamento. Valdivia tem a genialidade e a qualidade dele aumenta o poderio do time. Quanto mais puder jogar, melhor. É um ganho para todos nós ", resumiu o animado Gilson Kleina.

Mas o Palmeiras não se limita a apenas a Valdivia. Lúcio será titular de novo - ele foi bem contra o Comercial. Hoje, mais uma vez vai atuar ao lado de Henrique e não poderá subir tanto ao ataque, já que o time estará mais ofensivo.

Sem Renato, que sofreu uma lesão na clavícula, Kleina pode colocar França - já que Eguren está machucado - , mas a chance maior é que o treinador aposte em uma formação mais ofensiva, com Marcelo Oliveira, Wesley, Serginho e Mazinho.

Além de Eguren e Renato, estão fora, machucados, Bruno Oliveira, Tiago Alves e Diogo. "Complicado logo no início da competição já ter cinco desfalques. Isso mostrar porque falamos tanto que é importante ter um elenco numeroso e de qualidade", explicou.

Velhos conhecidos. No Atlético Sorocaba, o goleiro Deola é desfalque, porque pertence ao Palmeiras. O time conta com alguns personagens bens conhecidos dos palmeirenses. Fabinho Capixaba e Ewerthon estão confirmados. A dupla defendeu o Palmeiras e passou sem deixar saudades, assim como Lenny, outro ex-palmeirense, que não tem condições físicas.

O comando da equipe é de Ivan Baitello, técnico do Mirassol na histórica vitória por 6 a 2, no Paulistão do ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.