Vale vaga. E ''inédita'' viagem ao exterior

Meninos do São Paulo tentam bater Atlético-PR para avançar no torneio

Giuliander Carpes, O Estadao de S.Paulo

27 de agosto de 2008 | 00h00

Primeiro, boa parte dos jogadores do São Paulo que decidirão vaga na próxima fase da Sul-Americana terá de enfrentar a ansiedade da estréia no Morumbi. Depois, caso passem mesmo pelo Atlético-PR, hoje, às 22 horas, ganharão a chance de desfrutar de uma experiência internacional. A competição vale quase nada para os clubes que a disputam, mas para os meninos são-paulinos, principalmente, é uma grande oportunidade. Acompanhe a partida onlineÉ o caso de Wellington, de 17 anos, que só jogou na casa tricolor pela equipe sub-17 por duas vezes. Torcida no Morumbi, então, nunca viu. "É uma grande oportunidade", afirma o meia, que se espelha no volante Jean para também começar a jogar partidas do Campeonato Brasileiro em breve. "Ele é um grande jogador. Vou procurar fazer minha parte para conseguir meu espaço também."Se vencerem os paranaenses por qualquer placar - o jogo de ida ficou no 0 a 0 -, os jovens já terão feito o seu papel. Ganharão, de bônus, uma viagem para fora do País - podem ir à Venezuela enfrentar o Aragua ou ao México para jogar com o Chivas, que disputam vaga a partir de hoje. "Será muito importante, mas primeiro temos de vencer o Atlético", diz Wellington. Muricy Ramalho compartilha da mesma opinião do garoto. "Se conseguir passar, esse jogo fora é mais uma bagagem para os meninos", explica. O treinador só faz um alerta: a bola alta. "É um jogo que preocupa. A jogada aérea deles é muito boa. Eles são muito altos, temos de ter atenção com isso."O time que vai a campo também pode colaborar para afastar de Muricy o estigma de que tem dificuldades nos confrontos mata-mata. Mas o técnico tenta não colocar esta pressão nas costas dos jovens. "Não deve haver cobrança", alerta. "O mais importante é eles renderem bem."O próprio treinador não se sente pressionado a vencer. "Esta é uma competição para revelar jogadores", analisa. "Eu não sinto pressão. Quem sente pressão é treinador que não tem convicção. Não é o meu caso."ATLÉTICO BUSCA CONFIANÇAO Atlético-PR tenta deixar de lado temporariamente a preocupação com a proximidade da zona de rebaixamento no Brasileiro. "Precisamos voltar a vencer e não podemos escolher competição, nem adversário", destaca o zagueiro Danilo. "Precisamos de confiança e só uma vitória nos deixará assim."O torneio, porém, não é prioridade para o Atlético. Uma das preocupações do técnico Mário Sérgio é que os jogadores evitem contusão. Ele terá poucos atletas em boas condições físicas no banco de reservas. "Não temos nem pessoal para enfrentar as duas competições."BOTAFOGO DECIDE VAGAÀs 22 horas, o Botafogo enfrenta o Atlético-MG, no Mineirão, e pode até perder por 1 a 0 que estará classificado, já que venceu a primeira partida, no Engenhão, por 3 a 1. "Vamos valorizar a competição em busca de um título inédito para o futebol brasileiro", ressalta o técnico Ney Franco. COLABORARAM EVANDRO FADEL E HILTON MATTOS, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.