Valência fatura 70 mi com fãs

?Alonsomania? explica sucesso da categoria na Espanha, que recebe segunda corrida do ano

Livio Oricchio, O Estadao de S.Paulo

23 de agosto de 2008 | 00h00

Hoje será disputado o treino classificatório do GP da Europa, no circuito de Valência, na Espanha, o país do momento na Fórmula 1. A exemplo do que já foram Itália, Inglaterra, França, Brasil e Alemanha, a terra de Fernando Alonso, um herói nacional, é onde mais se fala da modalidade. E é esse imenso interesse que levou a Comunidade de Valência a investir alto para realizar uma segunda corrida na Espanha. Ontem, nos treinos livres, Kimi Raikkonen, da Ferrari, ficou com o melhor tempo. Felipe Massa, seu companheiro, obteve a quarta marca.A razão pelo boom da Fórmula 1 na Espanha não é outra senão o sucesso de Alonso, campeão do mundo em 2005 e 2006, ainda que este ano enfrente dificuldades com a pouca competitividade do carro da Renault. "Sim, estou orgulhoso de termos um segundo GP, é algo que não esperava há três ou quatro anos. Não podemos esquecer que em 2003 as provas sequer eram transmitidas ao vivo pela TV espanhola", disse o piloto, que ontem deu um pouco de esperança a seus milhões de fãs ao estabelecer o segundo tempo do dia, 1min39s497, diante de 1min39s477 de Raikkonen.Mas os homens de negócio de Valência celebram ainda mais o que a cidade está assistindo desde ontem. Comunicado da União Hoteleira local expressava sua satisfação com a ocupação, agora, de 100% da capacidade hoteleira para compensar "o mau verão". A queda de turistas foi de 6,3% em relação a julho de 2007. Os cerca de 300 mil visitantes estimados pela entidade na prova vão gerar um impacto de 70 milhões (R$ 169 milhões) na economia local.O presidente da empresa responsável pela promoção e organização do evento, Fernando Roig Alonso - presidente também do Villarreal, clube de futebol -, adiantou ter comercializado "pouco mais de 100 mil ingressos" e que a estréia de Valência no calendário do Mundial "já é um sucesso". Lembrou, ainda, que o GP da Europa será assistido por cerca de 597 milhões de telespectadores no mundo todo. A estimativa da Tele 5 e da TV 3, as emissoras que vão transmitir hoje, a partir das 14 horas (9 horas de Brasília), o treino de classificação, é de que 8 milhões de pessoas estejam diante da TV - 20% da população da Espanha. "E não é o máximo que registramos de apoio popular a Alonso. Tampouco foi nas conquistas dos dois títulos, mas ano passado, na sua briga com o companheiro de McLaren, Lewis Hamilton, e seu diretor, Ron Dennis", explica Josep Viaplana, jornalista do Diario Sport.Sobre a competição, Massa acredita que a Ferrari começou bem. A respeito de ficar atrás de Raikkonen, o que há muito não ocorria, deu sua explicação: "Numa pista nova como essa a cada instante os tempos melhoram". Sua volta mais rápida foi registrada às 15h11, enquanto a do finlandês foi às 15h30, no fim da sessão. Nelsinho Piquet, da Renault, fez o nono tempo, 1min40s439, e Rubens Barrichello, Honda, o último, 1min41s377.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.