Valeskinha quer título de presente

Com um time homogêneo, o BCN/Osasco pode conquistar quinta-feira o título inédito da Superliga Feminina de Vôlei enfrentando a MRV/Minas. O time de Osasco tem uma vantagem de 2 a 0 na série melhor-de-cinco partidas e o jogo será às 20h30, no Ginásio do Mineirinho, com transmissão da SporTV. Além das estrelas Fernanda Venturini e Virna, o time de Osasco conta com a central Valeskinha, eleita em 2002 a melhor bloqueadora do GP da Ásia. A jogadora de 1,80 m completa 27 anos amanhã e quer como presente de aniversário o quarto título nacional de sua carreira. Ela já está acostumada a passar o aniversário em clima de decisão. Nos últimos seis anos esteve em todas as finais da Superliga. Foi campeã duas vezes, defendendo a Rexona e o Flamengo. "Sem dúvida, seria um grande presente. Acho que pedir mais uma vitória não é muito, apenas o suficiente para que eu possa comemorar com minhas amigas", diz a jogadora. Mas Valeskinha está consciente de que a partida será difícil. "Acredito que esse é o jogo mais perigoso, porque será a última chance que elas terão para continuar na luta pelo título. Vão jogar em casa e com o apoio da torcida. Nossa equipe esteve muito bem nas dois primeiros jogos e tem de manter o ritmo. Temos de entrar em quadra muito concentradas e determinadas a garantir a vitória e o título." Equipe deslanchou - Segundo a central, o time de Osasco cresceu no momento certo na competição. Ela destaca que houve momentos de altos e baixos na fase classificatória e que, a partir das semifinais, a equipe deslanchou e fez bons jogos contra a Rexona e foi bem nos primeiros encontros das finais com a MRV. "Nos treinamentos procuramos corrigir as falhas apresentadas em algumas partidas e agora estamos colhendo os frutos", analisa. O BCN fez treinos táticos e técnicos hoje em dois períodos e repete a programação amanhã pela manhã. A delegação viaja à tarde para Belo Horizonte e treina à noite, já no Ginásio do Mineirinho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.