Valores estão dentro do padrão mundial

Arquiteto responsável pelo Mané Garrincha, de Brasília, lembra que Soccer City, na África, custou pelo menos R$ 759 milhões

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2010 | 00h00

Um dos projetos mais caros para a Copa do Mundo no Brasil é o novo Mané Garrincha, em Brasília, com capacidade para 71 mil pessoas. Apesar de ser remodelado, terá custo oficial de R$ 740 milhões. "Vamos manter apenas 20% do projeto anterior. A orientação que tive desde o início era fazer um estádio para abertura da Copa e é assim que estamos trabalhando", disse Eduardo de Castro e Mello, arquiteto responsável pelo projeto.

Ele explica que esse não é um valor fora dos padrões. Para se ter uma ideia, o Soccer City, estádio da abertura e final da Copa na África do Sul, saiu por R$ 759 milhões, 45% a mais do que o previsto inicialmente. E o próprio arquiteto desconfia desses valores. "Muitas vezes algumas coisas da parte externa não são computadas no cálculo final. E um estádio daquele porte custa bem mais", afirmou.

Eduardo de Castro e Mello é um especialista em arenas esportivas. E dá a receita para entender quanto custaria realizar um novo estádio para 2014. "Um de 45 mil lugares sai por volta de R$ 8 mil por assento. Mas, se aumentar a quantidade de público, o custo não é linear, pois precisa de mais área para atender os frequentadores. Assim, pode sair de R$ 10 mil a R$ 18 mil por assento, como foi o caso de Wembley", explicou.

Partindo desses cálculos, um estádio para 45 mil espectadores custaria cerca de R$ 360 milhões. Já um para 65 mil, número mínimo para abrigar uma abertura de Copa, poderia sair entre R$ 650 milhões e R$ 1,17 bilhão. "E a construção, dentro de um ritmo normal de obra, leva 3 anos. Para abreviar isso, o custo ficaria ainda maior." Isso tudo levando em conta o projeto pronto, caso contrário são mais seis meses de prazo para tudo ficar pronto.

Outro fator de grande importância para a Fifa é a área externa. Esse é um dos principais problemas do Morumbi e uma das facilidades do estádio em Brasília. "Ele está inserido dentro do Complexo Ayrton Senna e tem muita área livre, com estacionamento para 10 mil carros e podemos usar o autódromo para mais 25 mil carros. A Fifa não quer estacionamento muito próximo, quer deixar uma área livre para transporte coletivo, área de hospitalidade e convivência."

Novo projeto tricolor. O São Paulo envia hoje à Fifa mais um projeto de adequação do Morumbi para a Copa de 2014, incluindo o jogo de abertura. O documento, elaborado pela GMP, será enviado por meio do portal criado na internet para que o Comitê Organizador Local troque informações com a entidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.