Van der Sar pega pênalti. E o Manchester festeja terceiro título

Goleiro holandês defende chute de Anelka, do Chelsea, e se torna o herói na decisão de ontem em Moscou

Moscou, O Estadao de S.Paulo

22 de maio de 2008 | 00h00

A Rússia é vermelha. E a Europa se rendeu à cor viva ontem, em Moscou. Após 120 minutos de bola rolando no belo Luzhniki Stadium e depois de 14 pênaltis, o Manchester United ganhou, pela terceira vez na história, o importante e cobiçado título da Copa dos Campeões da Europa. A brilhante, pesada e bela taça foi conquistada da forma mais dramática, eletrizante e dura do futebol: a loteria dos pênaltis. Com bola rolando, um justo 1 a 1 com o Chelsea. A coroação do Manchester veio com a defesa do goleiro Van der Sar na cobrança do francês Anelka.De braços erguidos, dedos apontados para o céu, o goleiro holandês - eleito o melhor jogador da decisão - aguardou o caloroso abraço dos companheiros. No centro do campo, solitário, Cristiano Ronaldo, deitado, numa mistura de lágrimas e risos (havia perdido um pênalti), festejava sua mais importante conquista (mais informações nessa página). Em dezembro, o português provavelmente será eleito o melhor do mundo pela Fifa. Já tem garantida a chuteira de ouro, como mais eficiente artilheiro em torneios nacionais na temporada, com os 31 gols no Campeonato Inglês. Ontem, ainda deixou sua marca e acabou na artilharia do torneio, com oito gols. A festa vermelha contrastou com o desânimo dos ?blues?. O choro foi inevitável e restou ao técnico Avam Grant consolar o capitão Terry. Ele teve em seus pés a chance de garantir o primeiro título à equipe. Bastava marcar na disputa por pênaltis para a festa ser azul. Na hora H, contudo, escorregou e jogou para fora a chance.Pela segunda vez na história, o Manchester ergue os títulos inglês e a Champions League na mesma temporada. A primeira foi em 98/99, também sob o comando de Sir Alex Ferguson.O momento de maior emoção na terceira conquista do Manchester aconteceu na hora de receber a premiação. Bobby Charlton, um dos maiores nomes do futebol inglês de todos os tempos, e até ontem o recordista de partidas pelo Manchester - 758 jogos, superado nesta decisão por Ryan Giggs - também recebeu sua medalha. Ao recordista meia galês, coube a honra de erguer a taça com o capitão Rio Ferdinand.Um campeão, um vice, mas dois vencedores. Manchester United e Chelsea protagonizaram uma bela, disputada e também quente decisão - a primeira entre clubes ingleses (espanhóis e italianos já haviam se cruzado na final, uma vez cada). Com lances bonitos, gols e confusão, o vencedor só poderia vir mesmo nos pênaltis.Cristiano Ronaldo abriu o placar de cabeça, aos 26. Lampard empatou aos 45. Depois, houve muita emoção e nada de bola na rede. O Chelsea parou duas vezes na trave; o Manchester, nas mãos de Petr Cech. Em compensação, faria festa pelas mãos de Van der Sar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.