Diether Endlicher/Reuters
Diether Endlicher/Reuters

Vanderlei Cordeiro de Lima leva prêmio especial do COB

Atleta é homenageado uma década depois de ter entrado para a história do esporte com a épica medalha de bronze em Atenas

Estadão Conteúdo

02 de dezembro de 2014 | 17h40

Uma década depois de ter entrado para a história do esporte com a épica medalha de bronze que conquistou na disputa da maratona na Olimpíada de Atenas, Vanderlei Cordeiro de Lima vai receber Troféu Adhemar Ferreira da Silva, premiação criada pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) para homenagear aqueles atletas que marcaram época por seus valores esportivos. A entidade anunciou nesta terça-feira que ele foi o escolhido para ganhar tal honraria, em cerimônia no dia 16 de dezembro, no Rio, quando acontece a entrega do Prêmio Brasil Olímpico.

Nos Jogos de Atenas, em 2004, Vanderlei liderava a disputa da maratona quando foi atacado por um espectador, o ex-padre irlandês Cornelius Horan. Ele contou com a ajuda de outro torcedor, o grego Polyvios Kossivas, para se desvencilhar do ataque e continuar na prova. Acabou perdendo ritmo, mas, mesmo assim, teve força e concentração para completar o percurso em terceiro lugar, ganhando o bronze. Como homenagem, o Comitê Olímpico Internacional (COI) entregou ao brasileiro, na época, a medalha Pierre de Coubertin, maior honraria da entidade.

"Vanderlei Cordeiro de Lima é um herói olímpico nacional e um cidadão exemplar. Nada mais justo que o COB homenageá-lo com um prêmio concedido a atletas que ultrapassam a barreira do esporte para inspirar a todos. Sua atitude nos Jogos Olímpicos de Atenas é um marco para o esporte olímpico, nos emociona até hoje e nunca será esquecida", disse o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman.

Criado em 2001 pelo COB, para fazer parte da programação do Prêmio Brasil Olímpico, o Troféu Adhemar Ferreira da Silva é entregue anualmente a verdadeiras lendas do esporte brasileiro. Amaury Pasos, Maria Lenk, Joaquim Cruz, Eder Jofre, Bernard Rajzman, Hortência Marcari e Torben Grael foram alguns dos ex-atletas que já foram homenageados pela entidade com tal honraria. 

"Este prêmio é um reconhecimento muito grande por tudo que fiz na minha carreira, pela minha historia no esporte, e vem coroar também o que venho praticando desde que a encerrei. Tento retribuir um pouco do que o esporte me deu. Esta homenagem do COB é um agradecimento a tudo aquilo que o esporte pôde me proporcionar. É muito gratificante e faz com que realmente eu olhe para frente e veja um futuro promissor. Gostaria que todos os atletas pudessem se dedicar a promover o esporte ao encerrarem suas carreiras", disse o ex-maratonista paranaense de 45 anos.

NOITE DE FESTA

Além do Troféu Adhemar Ferreira da Silva, a cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico terá outras premiações. Serão anunciados, por exemplo, os dois melhores atletas do ano, um masculino e outro feminino - nessa disputa, os finalistas são Ana Marcela Cunha (maratona aquática), Mayra Aguiar (judô) e Martine Grael e Kahena Kunze (vela); Arthur Zanetti (ginástica artística), Marcus Vinicius D´Almeida (tiro com arco) e Tiago Splitter (basquete).

Também serão premiados os melhores atletas das 43 modalidades olímpicas, já definidos pelo colégio eleitoral criado pelo COB, assim com os dois melhores treinadores do ano - venceram o dinamarquês Morten Soubak, da seleção feminina de handebol (esportes coletivos), e o espanhol Jesús Morlán, que comanda a equipe de canoagem velocidade (esportes individuais). E, como novidade neste ano, ainda tem a categoria Atleta da Torcida, com votação popular até o dia da cerimônia.

Na disputa do Atleta da Torcida, o COB definiu apenas os 12 candidatos, sendo seis no masculino e seis no feminino. Assim, a disputa no voto popular tem: Cesar Cielo (natação), Diego Hypolito (ginástica artística), Isaquias Queiroz (canoagem velocidade), Marcus Vinícius D?Almeida (tiro com arco), Matheus Santana (natação) e Tiago Splitter (basquete); Aline Ferreira (luta), Flavia Saraiva (ginástica artística), Larissa e Talita (vôlei de praia), Martine Grael e Kahena Kunze (vela), Mayra Aguiar (judô) e Sheilla Castro (vôlei).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.