Vanderlei não teme novo ataque na volta

O brasileiro Vanderlei Cordeiro de Lima disse, no Japão, onde disputa a Maratona de Lake Biwa na madrugada de sábado para domingo (horário de Brasília), que não está preocupado com a segurança na prova. Essa será a sua primeira corrida internacional desde os Jogos Olímpicos de Atenas, quando foi atacado pelo ex-padre irlandês Cornelius Horan e acabou perdendo a medalha de ouro - ficou com o bronze."A segurança é algo que não me tira o sono", revelou Vanderlei aos jornalistas no Japão. "Só vou me concentrar no meu objetivo, que é correr a prova em menos de 2 horas e 8 minutos." Ele também garantiu que não tem nenhum trauma com o ataque do qual foi vítima durante a Olimpíada. "Atenas é passado, treino por objetivos e não tenho de pensar mais naquilo que aconteceu lá. Treinei muito bem na Colômbia e estou com vontade de quebrar meu recorde pessoal", avisou Vanderlei, que tem como melhor tempo a marca de 2h08m31, conseguida em Tóquio, em 1998.O bom cachê - agora de estrela internacional -, o clima, o percurso e o apoio dos torcedores japoneses são elementos com os quais Vanderlei conta para correr a maratona mais rápida de sua carreira. "Ele está preparado e, se tudo der certo, poderá conseguir sua melhor marca", contou o técnico do brasileiro, Ricardo D?Angelo, que está com ele no Japão.Vanderlei, de 35 anos, é um dos nove convidados internacionais dos organizadores na prova, oportunidade de classificação para o Mundial de Atletismo de Helsinque, que acontece em agosto. A próxima maratona que ele pretende correr esse ano é justamente a do Mundial - há vaga para os três melhores brasileiros na distância.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.