AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Vanderlei vira astro e ofusca colegas

A entrevista coletiva da maratona, já no fim da noite deste domingo em Atenas, chegou a ser constrangedora. O campeão da prova, o italiano Stefano Baldini, e o vice, Mebrahtom Keflezighi, dos Estados Unidos, praticamente foram ignorados pela imprensa internacional. O astro, é claro, foi Vanderlei Cordeiro de Lima. O brasileiro recebeu 14 perguntas, contra 7 do europeu e apenas 3 do norte-americano. Seus colegas do pódio ficaram visivelmente aborrecidos com a situação. Keflezighi, por exemplo, deixou a mesa antes do término do evento. Todos queriam saber do brasileiro qual foi a sensação ao ter sido agarrado por Cornelius Horan. Houve até mal-estar quando chegou a vez das questões dos jornalistas brasileiros. Obviamente falaram em português, provocando irritação em jornalistas de outros países, apesar do serviço de tradução disponibilizado pela organização. Vanderlei Cordeiro nunca foi tão assediado pela imprensa e mostrou-se, em diversos momentos, bastante tímido. Soube, no entanto, sair-se bem das situações mais complicadas. Evitou polêmica, absolveu a segurança e procurou reiterar que, mesmo que não tivesse sido prejudicado pelo espectador irlandês, poderia ter perdido a primeira colocação. Os repórteres europeus e norte-americanos buscavam, com os brasileiros, o máximo de informações possíveis do maratonista paranaense. Ele era o personagem do último dia dos Jogos Olímpicos. "Foi absurdo o que aconteceu, uma coisa inusitada, para marcar para sempre", afirmou Franco Fava, do Corriere Dello Sport. "Foi impressionante o que houve, mas acho que, de qualquer jeito, o Vanderlei não ganharia a prova", comentou Giorgio Giudice, da Gazzetta Dello Sport. "O que ocorreu foi inacreditável", disse o norte-americano Bob Padecky. Os jornalistas seguraram o brasileiro por tanto tempo que os voluntários da Olimpíada foram obrigados a puxá-lo para fazer o exame antidoping. Nesta segunda-feira, Vanderlei, ao lado de Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), terá novo encontro com a imprensa para voltar a discutir o assunto.

Agencia Estado,

29 Agosto 2004 | 20h29

Mais conteúdo sobre:
olimpíada 2004 olimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.