Vânia Ishii confiante para o Mundial

A meio-médio Vânia Ishii, de 27 anos, está espantando o azar com a sabedoria oriental. Uma lombalgia a impede de viajar nesta terça-feira com a seleção brasileira para Sant? Elpinio, na Itália, onde as judocas disputarão no fim de semana o Torneio Tre Torri, preparatório para o Mundial de Munique, na Alemanha, de 26 a 29 de julho. Nem a perda da única oportunidade de se preparar para o Mundial e muito menos o retrospecto desfavorável nas três vezes em que participou da competição, fazem com que Ishii perca a confiança e o bom-humor. "No Japão tem um ditado assim: o que acontece duas vezes, sempre acontecerá a terceira. Então, a minha cota em mundiais já acabou", brinca.Em 1995, na Coréia do Sul, Vânia machucou o joelho direito e teve de operá-lo. Ficou nove meses parada e começou a fazer terapia. Na França, em 1997, perdeu na segunda rodada. E em 1999, na Inglaterra, caiu na primeira luta. "Não gosto nem de fazer a retrospectiva. Vou encarar como se fosse meu primeiro Mundial."A judoca explica que está em fase "zen". "Antes era nervosinha, tipo pitbull." Conta que hoje respeita o corpo e seus limites. Não é obcecada em treinar mesmo machucada. Considera-se mais madura, equilibrada e, principalmente, empolgada com o início de um novo ciclo olímpico. "Só penso em coisas boas e quando fico preocupada, respiro fundo e jogo o sentimento ruim para fora."Única medalhista de ouro do judô no Pan-Americano de Winnipeg, em 1999, Vânia diz que está confiante em quebrar o "tabu do Mundial." "Às vésperas da seletiva, em maio, minha lombalgia ficou em crise. Só fui treinar duas semanas antes e acabei ganhando a vaga", observa. "Se a história se repetir..."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.