Vasco, cansado de tanto empatar

Time quer fugir da sina que o persegue na competição e compensar no Pacaembu os pontos perdidos em casa

Leonardo Maia, O Estado de S.Paulo

12 de setembro de 2010 | 00h00

Contabilizando 12 jogos de invencibilidade, mas vindo de um frustrante empate em casa contra o Atlético-MG, por 1 a 1, quinta-feira, o Vasco enfrenta o Palmeiras para tentar recuperar os pontos perdidos em seus domínios surpreendendo seu anfitrião. Trata-se de um confronto entre as duas equipes que mais empataram no Campeonato Brasileiro (10 igualdades palmeirenses contra 9 vascaínas). Eis uma das razões que explica por que ambos não conseguem deslanchar no torneio e chegar entre os primeiros classificados.

"Espero que não dê empate de novo. É ruim ter tantos empates, principalmente aqueles dentro de casa. Atrapalha os nossos planos de chegar ao G4. Mas não há tempo de se lamentar. Temos a oportunidade de ir a São Paulo e buscar os dois pontos que deixamos escapar em casa. Acredito que vamos melhorar nesse sentido", disse Zé Roberto, que volta à equipe depois de cumprir suspensão contra os mineiros.

Para o jogador, este dado serve para dar a medida de que Vasco e Palmeiras são times complicados de se derrotar, que possuem um esquema sólido, ainda que falte, às vezes, a força para conquistar o triunfo. "Eles estão pressionados, o que só vai aumentar a nossa dificuldade."

Mesmo insatisfeito com tantas igualdades, Zé Roberto enaltece o trabalho do técnico Paulo César Gusmão, que soma 19 jogos sem perder no Brasileiro (com Ceará e Vasco) e quebrou o recorde de Muricy Ramalho. "Antes da Copa, o Vasco era uma equipe muito instável. Agora temos equilíbrio, um padrão de jogo. Essa invencibilidade é boa para dar confiança ao time. Esse foi um grupo que foi muito criticado. Todos estão com muita vontade de vencer", diz o jogador.

Mais preocupado em fazer seu time conquistar uma sequência de vitórias do que em manter-se invicto, PC Gusmão comemora o fato de contar com o meia, ainda mais na ausência de Felipe e Carlos Alberto, que continuam afastados com problemas musculares. "O time ganha mais peso com o Zé", observa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.