Vasco tenta impugnar jogo com Palmeiras pela Sul-Americana

Clube do Rio alega que atacante Thiago Cunha, autor de dois gols no confronto, teria atuado de forma irregular

Hilton Mattos, Agencia Estado

18 de setembro de 2008 | 18h21

O Vasco promete entrar nesta sexta-feira com um recurso na Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) pedindo a anulação do jogo de quarta-feira, contra o Palmeiras, pela Copa Sul-Americana. No campo, o time paulista venceu por 3 a 0. Mas, nos bastidores, segundo o vice-presidente jurídico Luiz Américo, houve irregularidade na inscrição de Thiago Cunha, autor de dois gols.Veja também:Palmeiras apresenta oficialmente o zagueiro Roque JúniorPalmeiras: domingo será um jogo diferente contra o VascoPalmeiras vence e garante vaga nas oitavas da Sul-Americana Copa Sul-Americana – Classificação, calendário e resultados Ouça os gols de Palmeiras x Vasco no Território Eldorado Dê seu palpite no Bolão Vip do LimãoDe acordo com o regulamento da competição, o jogador deveria ser inscrito no Boletim Informativo Diário da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) 48 horas antes da partida de ida, em São Januário, dia 13 de agosto. Mas o nome de Thiago só apareceu no dia 12.O Vasco tem 48 horas para impetrar a ação. "Consultei a Conmebol, que prometeu estudar o caso. Amanhã (sexta) eles vão responder sobre o caso. Até quarta-feira de manhã o nome do Thiago Cunha não estava registrado no site da Conmebol. Estava o do Jorge Preá. Era este atleta, inclusive, que estava inscrito com a camisa 25", disse Luiz Américo.De fato, no histórico do site da CBF consta que o nome do atacante palmeirense foi inscrito somente dia 12. "Como pode o Palmeiras, um clube dessa grandeza, cometer uma gafe dessas? Mas acontece. Cabeças devem rolar", advertiu o supervisor vascaíno Carlos Alberto Lancetta.RESPOSTAApós o caso ser divulgado, o gerente de futebol do Palmeiras, Toninho Cecílio, concedeu uma entrevista coletiva e apresentou um documento para mostrar que a inscrição de Thiago Cunha foi protocolada em 11 de agosto e por isso está de acordo com o regulamento da competição. "Não há nenhuma irregularidade", afirmou.Segundo Cecílio, o erro foi cometido pela assessoria de imprensa do clube, que divulgou uma lista que constava o nome do atacante Jorge Preá. "Ele estava em uma lista inicial, mas antes de as inscrições serem encerradas foi excluído por opção técnica", assinalou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.