NILTON FUKUDA/ESTADÃO
NILTON FUKUDA/ESTADÃO

Veja que esportes podem ser praticados em meio a pandemia do coronavírus

Estado entrevista médico especializado em exercício e esporte para responder a questão

Entrevista com

Dr. João Paulo de Santanna Pinto, médico especializado em Medicina do Exercício e do Esporte

Raul Vitor, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2020 | 04h30

Atletas profissionais, amadores e adeptos de diferentes esportes vivem uma nova realidade em razão do novo coronavírus. Seus treinos, agora, devem ser realizados em casa, sem contato com o mundo exterior e, especialmente aglomerações. Mas será que nenhum esporte pode ser praticado neste período?

Para tirar essa e outras dúvidas, o Estado entrevistou o Dr. João Paulo de Santanna Pinto, médico especializado em Medicina do Exercício e do Esporte, pelo Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP).

Existem práticas esportivas viáveis em meio à quarentena?

“Neste momento, devido à estratégia de isolamento social para controle do avanço do SARS-CoV-2, causador da covid-19, não é recomendada a prática esportiva. A recomendação para a população geral é manter a prática de atividade física, ou seja, movimentos corporais repetitivos com finalidade de aumento do gasto de energia basal, sem objetivo de ganhos de força muscular e aptidão cardiovascular, e exercício físico, que tem como intuito a realização de movimentos corporais repetitivos, com finalidade de aumento do gasto de energia basal, fortalecimento muscular e estímulo do sistema cardiorrespiratório.”

Quais recomendações devem ser seguidas para execução de atividades físicas?

As recomendações atuais indicam manter a prática de exercícios e atividade física em casa. Atividades ao ar livre como caminhada, corrida e ciclismo, realizadas individualmente, sem encontro com grupos ou percurso compartilhado em veículo com outras pessoas, sem uso de equipamentos públicos de exercício, para alongamento, por exemplo, oferecem menos risco de contágio durante a atividade, mas não devemos esquecer que os momentos de sair de casa, andar pelos corredores de um edifício, pegar elevador, tocar maçanetas e portas de uso coletivo, por si só, já são momentos potenciais de contágio e devem, neste momento, ser evitados ao máximo.”

A prática de esportes em meio aquático é viável?

Além da questão do risco de contaminação durante o deslocamento, é sabido, por estudos de viabilidade de vírus, que os coronavírus podem sobreviver na água. Não se sabe exatamente qual o comportamento do SARS-CoV-2, quando presente na água, se ele pode sobreviver neste ambiente e se tem capacidade de infectar o ser humano. A água de piscinas normalmente passa por processo de tratamento para reduzir o risco de contaminação por microrganismos em geral, mas estes processos podem falhar ou não estarem sendo realizados de maneira adequada. Por uma questão de segurança e por não existir ainda uma resposta clara quanto ao risco de contágio, não se deve recomendar a prática de exercício físico na água neste momento.

Esportes praticados com certo distanciamento, mas com uso de itens compartilhados, podem gerar risco de infecção?

Os esportes que são praticados com mais de uma pessoa e envolvam algum material compartilhado, como uma bola de tênis, vôlei, ou de tênis de mesa, por exemplo, também apresentam risco de contaminação. Caso alguém contaminado encoste nos olhos, boca ou nariz durante a partida e pegue a bola sem higienizar a mão, o que normalmente ocorre durante a prática destes esportes, o vírus pode ser transmitido através do material compartilhado para a outra pessoa.

Tudo o que sabemos sobre:
coronavírusciclismo [esporte]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.