Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

'Vejo a Olimpíada como uma grande oportunidade'

Técnico já tem definida a base que vai tentar a medalha de ouro e garante que seleção estará bem preparada

ALMIR LEITE, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2012 | 03h10

Mano Menezes sabe que se o Brasil não conquistar o ouro no futebol não será o fim do mundo. Ganhar a inédita medalha, no entanto, terá significado histórico. E o treinador não pretende perder a chance. Vai levar à Inglaterra uma equipe jovem, porém talentosa, que servirá como base para o real objetivo, o hexacampeonato mundial em 2014.

Para Mano, a Olimpíada de Londres é, sim, prioridade, embora o diretor de seleções da CBF, Andrés Sanchez, tenha dito, um mês atrás, que o mais importante é preparar a equipe para a Copa do Mundo - por isso, a determinação é convocar a seleção principal, e não a olímpica, para os amistosos já marcados para o primeiro semestre.

Mano diz que não é bem assim. "Em entrevista, nem sempre as palavras saem exatamente como se quer'', disse ao Estado, sobre a posição de Andrés. "Ninguém tem dúvida de que a prioridade maior é a Copa, mas não vamos desperdiçar nenhuma oportunidade. Nossa obrigação é de sempre fazer o melhor.''

Seja como for, o fato é que Mano, desde que assumiu o cargo - pouco depois do fracasso brasileiro no Mundial de 2010 -, deu um jeito de dar um "toque olímpico'' à seleção. Na maior parte de suas convocações, chamou vários jogadores com idade para ir aos Jogos.

Com isso, além de iniciar um trabalho de renovação da desgastada equipe principal que ficou pelo caminho na África do Sul, começou a preparar o terreno para a Olimpíada.

Na primeira convocação deste ano, por exemplo, para o amistoso contra a Bósnia, terça-feira, na Suíça, Mano chamou oito jogadores que poderão estar nos Jogos: o goleiro Rafael; os laterais Alex Sandro e Danilo (desconvocado por contusão); o volante Sandro; os meias Paulo Henrique Ganso e Lucas; e os atacantes Leandro Damião e Neymar. Em outras ocasiões, havia relacionado garotos como o goleiro Neto, o lateral-direito Rafael (Manchester United) e o atacante Alexandre Pato, este já um "veterano'' entre os jovens, pois esteve em Pequim.

O treinador tem a convicção de que a seleção olímpica é a base para 2014. "Este é o planejamento. Temos atletas sub-23 que vêm obtendo destaque e se afirmando na seleção. Se continuarem evoluindo com as competições, é bem provável que cheguem lá (na Copa)'', afirmou.

Nessas convocações, mesmo que o jogador não tenha atuado, o trabalho não foi perdido, considera o treinador. "Foi possível ver durante todo esse período o mais importante para ser visto em relação à capacidade desses jogadores, mesmo que não tenham atuado. Treinaram com a gente, observamos comportamento, atitudes, disciplina, e assim você vai selecionando.''

Preparação. Mano Menezes não terá o tempo ideal para preparar a equipe. Mas considera que o trabalho paralelo com a seleção principal que fez desde que assumiu ajudará bastante. "Isso nos possibilitou escolher a base de atletas que farão a preparação final a partir de 9 de julho, inicialmente no Rio, e depois do dia 18, em Londres'', garantiu. No seus planos, estão dois amistosos em território britânico.

Ele também pretende aproveitar o fato de a seleção principal não ter, pelo menos até agora, compromissos para os meses de março e abril e boa parte de maio para reunir a seleção olímpica para jogos-treino e até amistosos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.