Vela: Adler larga na frente no Match Race

O comandante Alan Adler foi o único a fechar o primeiro dia de competições da Match Race Brasil com três vitórias, pelo grupo B. Nenhuma das outras sete tripulações conseguiu a mesma marca no torneio que começou nesta sexta-feira, no Yatch Club de Ilhabela, com ventos tão fortes que deixaram uma vela balão e três genoas rasgadas. "Havia rajadas de vento de até 25 nós e muita corrente. O match race (barco contra barco) exige manobras muito bruscas e isso provoca quebras nos barcos", observou Adler. Os organizadores terão de consertar os quatro barcos que os velejadores usam em revezamento para mais 12 regatas neste sábado, a partir das 10 horas. Dentre os campeões olímpicos que disputam o torneio de vela oceânica, Robert Scheidt venceu uma única regata e Torben Grael duas.Embora a largada seja fundamental nesse tipo de regata, Alan Adler observou que sua tripulação teve de fazer duas regatas de recuperação, contra André Fonseca e Marcos Soares. "Passamos com ventos de popa. Apenas na última regata, contra Scheidt, largamos bem na frente." O campeão olímpico Scheidt lamentou justamente erros cometidos na largada. "Numa delas erramos a aproximação da área de largada e isso é fatal", explicou o iatista que é dono de 100 títulos na vela. Lars Grael, que velejou na tripulação de Adler como tático acha que não é bom ser muito otimista apesar das três vitórias desta sexta. Em Búzios, na primeira etapa da Match Race Brasil, venceram cinco regatas na primeira etapa e foram terceiro colocados no final. Neste sábado, Lars Grael, não participa da segunda etapa da fase declassificação com mais 12 regatas - os barcos estão divididos em dois grupos de quatro comandantes. Se classificam os dois melhores veleiros de cada chave para a etapa final, domingo. Lars Grael não veleja neste sábado - vai à Santos para o encerramento dos Jogos Abertos do Interior, como secretário da Juventude, Esportes e Lazer. O tático será Jorge Zarif.Alex Welter, campeão olímpico nos Jogos de Moscou, em 1980 (velejando na classe Tornado, com Lars Bjornkstron), foi o único comandante a perder as três regatas do dia. Lamentou que as provas não pudessem ser realizadas em frente à vila de Ilhabela, por causa dos ventos. Neste sábado, o engenheiro mecânico, adota a vela apenas como hobby. "Ainda velejo de Classe Star e gosto de disputar Match Race, mas não pude mais competir. Me dediquei a minha carreira."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.