Andrew Richardson/USA Today
Andrew Richardson/USA Today

Velásquez atropela Cigano e mantém título dos pesados no UFC 166

Norte-americano triunfa por nocaute técnico no quinto round; Werdum deve ser o próximo desafiante

Fernando Arbex - ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S. Paulo

20 de outubro de 2013 | 10h41

HOUSTON - Cain Velásquez venceu o último capítulo da trilogia com Júnior Cigano dos Santos e manteve o cinturão da divisão dos pesados do Ultimate. A vitória do norte-americano de ascendência mexicana aconteceu neste sábado, por nocaute técnico, no quinto round da luta principal do UFC 166, realizado em Houston (EUA). Logo após o término do embate, Dana White, o presidente da organização, afirmou que o que mais faz sentido é colocar o gaúcho Fabrício Werdum como próximo desafiante ao título da categoria.

O brasileiro, assim como no segundo combate entre os dois, foi amplamente dominado, enquanto Velásquez foi perfeito na estratégia de não dar espaço ao adversário, conseguindo impor um ritmo frenético de luta desde o início, quando conseguiu aplicar uma queda. Cigano se levantou rapidamente e aparentava que faria uma luta agressiva, mas não foi o que aconteceu. Júnior era pressionado contra a grade a todo momento, sofria muitos golpes do clinch e não seguia a orientação de sua equipe de fugir das paredes da jaula quando tinha a chance.

No terceiro assalto, Velásquez quase nocauteou o desafiante, que aguentou castigo enorme depois de sofrer knockdwon com um soco de direita do rival. O campeão foi para cima e só não venceu naquele momento porque o árbitro Herb Dean permitiu que o brasileiro continuasse lutando. Mais tarde, no quarto assalto, Cigano foi examinado pela médica do evento porque estava com um sangramento no supercílio esquerdo, mas teve a permissão para permanecer no combate, cena que se repetiu no intervalo antes do último período.

Porém, tudo se acabou para Júnior no último assalto, depois de encaixar uma guilhotina no oponente. Para se livrar do golpe, Velásquez se atirou por baixo do brasileiro,  que caiu de cabeça no tablado em virtude desse movimento. Atordoado por causa do impacto, Cigano ficou na posição de quatro apoios e só esperou o rival golpeá-lo um pouco até que Herb Dean interferisse. Com o triunfo por nocaute técnico, o campeão defendeu com sucesso seu cinturão da divisão até 120,2 Kg, a mais pesada do UFC, pela segunda vez.

OUTRAS LUTAS

O card principal começou com dois nocautes no primeiro round. O norte-americano John Dodson, canhoto peso mosca, e o carioca Gabriel Napão Gonzaga, destro peso pesado, aproveitaram suas melhores mãos para acharem a distância de seus rivais logo cedo e conseguirem nocautes rápidos sobre os estadunidenses Darrell Montague e Shawn Jordan, respectivamente.

Em seguida, os norte-americanos de ascendência mexicana Gilbert Melendez e Diego Sanchez fizeram o melhor combate da noite, pela divisão dos leves. Sanchez lutou agressivamente durante todo o combate, socou muitas vezes o vento, apanhou muito, mas quase virou o embate no último assalto, quando conseguiu um knockdown. Muito bem nos contra-ataques, Melendez venceu na decisão unânime dos jurados.

Na penúltima luta da noite, o peso pesado norte-americano Daniel Cormier venceu sem dificuldades o “gordinho” Roy Nelson, também dos EUA, que não conseguiu lidar com a estratégia do adversário de alternar entradas de queda, chutes na longa distância e combinações de socos. Depois do anúncio do triunfo por decisão unânime dos juízes, DC disse que no próximo combate ele atuaria como meio-pesado e, sem citar o nome do campeão Jon Jones, afirmou que tinha como objetivo ir em busca do título.

Tudo o que sabemos sobre:
ufcCiganoVelasquez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.