Divulgação
Divulgação

Venda de ingressos para o Rio-2016 encerra com grande procura em SP

Prazo se estendeu por demora na confirmação da Arena Corinthians

MARCIO DOLZAN, O Estado de S. Paulo

06 de maio de 2015 | 18h25

Termina à meia-noite desta quarta-feira a primeira fase de venda de ingressos para os Jogos Olímpicos de 2016. O prazo, que originalmente se encerraria na semana passada, foi prorrogado em virtude da confirmação de São Paulo como subsede do futebol. A medida acabou permitindo que os interessados em assistir aos jogos no Itaquerão também tivessem a opção de participar de todas as etapas de venda de bilhetes e, ao mesmo tempo, representou um expressivo incremento no número de solicitações de ingressos para a Olimpíada.

Nesta quarta-feira, o Comitê Rio-2016 informou que pelo 12º dia consecutivo o estado de São Paulo lidera o número de pedidos. Mesmo assim, continua em segundo lugar no ranking geral, atrás do Rio de Janeiro.

Na terça, o comitê forneceu a última parcial de venda de ingressos. Até então, 4,4 milhões já haviam sido solicitados, e outros um milhão estavam pendentes. Desses, a entidade tinha a expectativa de que 700 mil fossem confirmados até a meia-noite desta quarta.

"É um número ótimo, próximo do que aconteceu em eventos passados. Estamos muito satisfeitos", considerou Donovan Ferreti, diretor de ingressos do Rio-2016. Ele também destacou a boa procura por ingressos em São Paulo. "Pessoalmente, fiquei feliz em conseguir incluir São Paulo nesta fase de vendas, e a procura demonstrou ter sido uma decisão acertada."

Apesar de ter sido confirmada como subsede do futebol apenas na quinta-feira passada, a cidade de São Paulo já tem três dos dez jogos que irá sediar com mais bilhetes pedidos do que ingressos à disposição - o primeiro jogo do torneio masculino de futebol e os jogos de quartas de final e semifinal masculinos. Com isso, eles terão seus pedidos definidos por sorteio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.