Márcio Fernandes/Estadão
Márcio Fernandes/Estadão

Vento derruba estrutura de evento de surfe em Portugal

Segundo especialistas, campeonato pode começar somente a partir de quarta-feira, quando os ventos devem diminuir

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

12 de outubro de 2014 | 16h29

Os ventos com mais de 100 km/h que chegaram ao litoral de Peniche, neste domingo, não prejudicaram apenas os surfistas, mas também os organizadores da etapa de Portugal do Circuito Mundial, que tiveram um prejuízo considerável com as rajadas que destruíram parte da estrutura do campeonato. "Perdemos duas tendas, vidros foram quebrados e algumas portas caíram", revelou Renato Hickel, diretor do Circuito Mundial de Surfe.

Carregando

VÍDEO - Com ventos acima de 70 km/h, abertura da etapa de surfe em Peniche é adiada. #EstadaoEsportes

Exibir no Instagram

Logo cedo, a ASP (Associação dos Surfistas Profissionais) detectou que não tinha condições de realizar a primeira bateria do dia. Além dos ventos, havia muita chuva e frio. Mesmo divulgando em seu site que não haveria prova, centenas de pessoas foram à praia para conferir a situação, na expectativa de ver algum ídolo de perto. "Nós viemos da Espanha para ver o campeonato e vamos ficar aqui esperando", contou Ismael Rodríguez, que é de Batajoz, a 275 km de distância.

Com o adiamento, uma próxima chamada será feita nesta segunda-feira, mas especialistas já apontam que o campeonato pode começar só a partir de quarta, quando os ventos diminuirão. Nesta segunda, às 7h30 da manhã (3h30 no horário de Brasília), os organizadores vão avaliar se poderá começar o torneio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.