Ventos fracos atrasam Eldorado-Brasilis

A flotilha da Eldorado-Brasilis, a maior regata de vela oceânica disputada no País, já completou um quarto de seu percurso. A prova começou sábado, em Vitória, e seus participantes velejam em direção à Ilha de Trindade, o ponto brasileiro de terra mais distante da costa, contornam a ilha e voltam para a capital do Espírito Santo.Na tarde desta segunda-feira, os velejadores encontravam maiores dificuldades em relação à véspera, já que os ventos, que eram de aproximadamente 15 nós no domingo, passaram para 10 nós, de Sul para Sudeste, com um dia fechado e chuvas no decorrer do período. A previsão dos organizadores, que calculavam a chegada da primeira embarcação a Trindade na tarde de terça, teve de ser refeita. O primeiro veleiro deve chegar à ilha apenas na quarta.Via rádio, o comandante Paulo Rodrigues, do Fórmula Eldorado, informou nesta segunda-feira que a tripulação, integrada por estudantes de iatismo da escola de Ilhabela, já não sofria mais com problemas de adaptação ao barco - o que é muito comum nos primeiros dias de uma regata. "O bom astral voltou à bordo", informou ao receptor do "Supernova", catamarã que leva 26 tripulantes, incluindo o juiz da regata, Dionísio Sulzbeck.O "Supernova" deve ser o primeiro a chegar à ilha, na noite desta terça, para fazer a marcação da chegada dos participantes e largada para a volta à Vitória.Na tarde desta segunda-feira, o "Oi/Nokia/Sorsa", do comandante Eduardo Penido, continuava à frente dos demais participantes, seguido de perto pelo catamarã "Galileu". O "Silent", de Ilhabela, vinha logo a seguir.

Agencia Estado,

19 de janeiro de 2004 | 18h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.