Veteranos marcam na vitória do São Paulo em Mogi

Rogério Ceni, de pênalti, e Marcelinho Paraíba fazem os dois gols sobre o Mogi Mirim, que não contou com Rivaldo

Daniel Akstein Batista, O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2011 | 00h00

O São Paulo mostrou mais virtudes do que defeitos na tarde de ontem contra o Mogi Mirim, fora de casa, e, sem muito esforço, venceu por 2 a 0, dando tranquilidade para o técnico Paulo César Carpegiani trabalhar.

A equipe que pouco se reforçou neste início de temporada era motivo de preocupação para a torcida tricolor. Ainda é, principalmente no que se refere ao setor ofensivo. O clube perdeu Ricardo Oliveira e Dagoberto só entrou no segundo tempo ontem. Fernandinho e Mazola, principalmente, deixaram a desejar.

O trabalho do São Paulo em Mogi Mirim foi facilitado após marcar um gol de pênalti logo no começo. Com o placar favorável, o time teve tranquilidade para tocar a bola e pouco foi ameaçado.

O primeiro gol foi construído pelo lado que a equipe mais trabalhava: o esquerdo, com Carlinhos Paraíba e Juan. Em bola alçada na área, Thiago Alves colocou o braço na bola e Rogério Ceni cobrou o pênalti com perfeição, aos 4 minutos.

Aos poucos, o São Paulo passou a atacar pela direita e Ilsinho transformou-se no melhor jogador da partida. Com dribles curtos, chegava fácil na área rival e só não ampliou o placar pela boa atuação de João Paulo. Em um lance, o goleiro salvou chute de Ilsinho. Depois, o são-paulino achou Juan livre, mas João Paulo novamente salvou.

O ex-flamenguista Juan, que cresceu na base do São Paulo, foi a única novidade do time. E mostrou competência logo no seu primeiro jogo como profissional com a camisa tricolor. "O time jogou bem e, de certa forma, tivemos segurança durante a partida", disse.

O lateral-esquerdo falou com razão. O Mogi Mirim chegou poucas vezes ao ataque e, quando chegou, encontrou pela frente uma zaga segura e um Rogério Ceni inspirado - no melhor lance, o goleiro defendeu chute forte de Neil.

Carpegiani realizou três mudanças. A entrada de Dagoberto pouco mudou a forma de o São Paulo jogar. Com a saída de Ilsinho, que deu lugar para Renato Silva, o time perdeu seu melhor jogador. Quem teve motivos para comemorar foi Marcelinho Paraíba, que entrou no fim e conseguiu deixar sua marca, após cruzamento de Fernandinho, aos 42. Para quem teve pouco tempo para treinar, o São Paulo não teve dificuldades para conseguir a primeira vitória do ano. Na quarta-feira, o time busca mais três pontos contra o São Bernardo, no Morumbi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.