Vettel domina e Lotus abandona testes

Primeiro dia de treinos em Barcelona confirma força da Red Bull; carro do time de Raikkonen deve ter erro de projeto

LIVIO ORICCHIO, O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2012 | 03h04

Sebastian Vettel estabelecer o melhor tempo no primeiro dia da segunda série de testes coletivos, ontem, no Circuito da Catalunha, era o esperado. O modelo RB8-Renault tem se mostrado veloz, regular e confiável. A surpresa foi a Lotus, do campeão de 2007, Kimi Raikkonen, abandonar o treino que se estenderá até sexta-feira e só voltar a testar no último período, de 1.º a 4 de março, também em Barcelona.

James Allison, diretor técnico da Lotus, não especificou o problema, mas muito provavelmente se trata de um falha estrutural no monocoque, componente central do carro. O fato surpreende em função, principalmente, de no ensaio de Jerez de la Frontera, realizado de 7 a 10 deste mês, Raikkonen e seu companheiro, Romain Grosjean, terem deixado muito boa impressão do modelo E20-Renault.

Com uma pré-temporada tão curta, apenas 12 dias no total, perder quatro representa um golpe na preparação da equipe. "É duro, mas necessário'', resumiu o diretor da Lotus, Eric Boullier. Ontem Grosjean completou 7 voltas e regressou aos boxes, sinalizando um comportamento estranho no segundo chassi do modelo E20.

A modificação do monocoque possivelmente exigirá novo teste de impacto (crash test) controlado pela FIA. "Nossa meta é lutar pelo quarto lugar entre os construtores'', disse Boullier na apresentação do E20. O time foi quinto em 2011, com 73 pontos, diante de 165 da Mercedes, quarta colocada.

Descobertas. Aos poucos os técnicos das escuderias concorrentes da Red Bull vão descobrindo os detalhes que fazem do modelo RB8, desde já, um monoposto bastante eficiente.

Ontem no Circuito da Catalunha, por exemplo, ficou claro que os componentes da suspensão traseira são carenados. Eles direcionam os gases do escapamento para a porção inferior do aerofólio traseiro.

O efeito é o aumento da velocidade de escoamento do ar na área, sob o aerofólio, reduzindo a pressão aerodinâmica. Com isso, a pressão na porção superior do aerofólio traseiro aumenta, por haver uma pressão menor de baixo para cima, decorrente da maior velocidade de escoamento do ar, gerada pelos gases do escapamento. A solução do projetista da Red Bull, Adrian Newey, deverá ser copiada em breve pelos concorrentes.

Vettel registrou 1min23s265 na melhor das suas 79 voltas no traçado catalão de 4.655 metros, que ontem teve temperatura ambiente entre 5 e 17ºC.

Hoje Fernando Alonso volta a pilotar a Ferrari F 2012 e nos dois dias seguintes será a vez de Felipe Massa. As dificuldades de resistência foram atenuadas pela equipe italiana, pois ontem o espanhol percorreu 67 voltas, mas ainda lhe falta velocidade. Alonso fez na melhor 1min24s100, quinto melhor tempo do dia.

Quem deixou impressão distinta do teste de Jerez de la Frontera foi a McLaren. Lewis Hamilton completou convincentes 114 voltas em Barcelona, simulou parte de uma corrida e marcou 1min23s590, terceiro. Já Force India e Toro Rosso ratificaram a imagem de estarem bem preparadas para o início do campeonato evidenciada em Jerez. Nico Hulkenberg, da Force India, deu 97 voltas, com 1min23s440, segundo, e Daniel Ricciardo, Toro Rosso, 76, com 1min23s618, quarto. Bruno Senna teve outro dia produtivo na Williams, ao completar 97 voltas, com 1min25s711, oitavo. Comentou: "Estamos bem nas curvas de média e alta velocidade, mas não nas de baixa''.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.