Vettel passa o dia recebendo 'abraços' dos concorrentes

Com larga vantagem, alemão ganha elogios e cumprimentos dos rivais, que já o consideram bicampeão mundial

LIVIO ORICCHIO / CINGAPURA , ENVIADO ESPECIAL, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2011 | 03h05

Matematicamente ainda é possível para quatro pilotos tirar o título de Sebastian Vettel, da Red Bull, líder do Mundial, depois de 13 etapas, com 284 pontos: Fernando Alonso, Ferrari, 172, Jenson Button, McLaren, e Mark Webber, Red Bull, 167, e Lewis Hamilton, McLaren, 158. Mas a tarde de ontem no circuito Marina Bay, onde hoje começam os treinos livres do noturno GP de Cingapura, foi de cumprimentos ao "bicampeonato" do jovem alemão, de 24 anos.

"O campeonato acabou. Falta apenas a definição matemática. Cabe a nós lutar pelo vice e oferecer espetáculo para a torcida, já que sem o compromisso da luta pelo título podemos arriscar mais", afirmou Alonso.

Já Button, um crítico e vítima dos erros de Vettel, no ano passado, lembrou que o piloto da Red Bull, este ano, "ganhou uma autoconfiança impressionante". Nas 13 provas realizadas, chegou ao pódio em 12, sendo 8 vitórias, e na outra, justamente no seu país, Alemanha, terminou em quarto. "Tiro o meu chapéu para Sebastian. O que fez este ano é fantástico", comentou Hamilton.

Não há mais aquele espírito de disputa em jogo este ano. Ao menos quanto ao título. "Para nós pilotos, independentemente de termos ou não chance de sermos campeões, a vitória é o que interessa", explicou Massa,

A disparidade para o que conseguiu o companheiro de Red Bull, Webber, foi enorme, este ano. O australiano não venceu um único GP diante de 8 de Vettel. "Parabéns, fez um trabalho melhor que o meu. Tive mais dificuldades que Sebastian para me adaptar aos pneus Pirelli no começo", explicou Webber.

E o próprio Vettel, o que diz diante da reação resignada em grupo da concorrência. Em resposta ao Estado, comentou: "Seria um erro pilotar com o freio de mão puxado em dizer ok, eu preciso apenas terminar a corrida". E complementou: "Por outro lado, seria também um erro largar e dizer eu preciso arriscar. Por isso penso que devo apenas correr."

Sebastian Vettel, da Red Bull, será campeão mundial domingo, no GP de Cingapura, 14ª de um total de 19 etapas, se:

Vencer, Fernando Alonso, Ferrari, não se classificar em 2º ou 3º e Jenson Button, McLaren, ou Mark Webber, Red Bull, não forem 2º.

Terminar em 2º, Alonso, no máximo em 9º, Button ou Webber, em 7º, e Lewis Hamilton, McLaren, não vencer.

Terminar em 3º, Alonso

no máximo em 9º, Button ou

Webber, em 7º e Hamilton

não vencer ou se classificar em 2º

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.