Vettel tira a McLaren de seu caminho

Em Mônaco, circuito em que largar na frente é essencial, alemão crava mais uma pole e corre outra vez como favorito

Livio Oricchio, O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2011 | 00h00

Sebastian Vettel, da Red Bull, o líder do Mundial, ficou atrás o tempo todo nos treinos livres do GP de Mônaco e até nas duas primeiras partes da sessão classificatória, ontem. Mas na última, a que define os dez primeiros, deixou Lewis Hamilton, da McLaren, o mais veloz até então, para trás e estabeleceu a sua primeira pole position no Principado, quinta em seis possíveis no ano e a 20.ª na carreira.

Mesmo assim, a McLaren aposta em sua eficiência em Mônaco para quebrar essa supremacia. Jenson Button, que obteve o segundo tempo ontem, está otimista. "Nosso ritmo de corrida é excelente. Se existe um lugar que podemos pensar em vencer a Red Bull é aqui", disse.

Button deu a entender que suas chances de ganhar hoje serão jogadas na largada. "Os pneus têm comportamento normal, a estratégia será menos importante que em outras provas. Por isso a largada ganha outra dimensão". Os pilotos utilizam no Principado pela primeira vez este ano os pneus supermacios. A expectativa é de duas paradas ao longo das 78 voltas. Na luta entre Vettel e Button, o alemão lidera o campeonato com 118 pontos, enquanto Button, quarto, soma 61.

Vencedor da prova no ano passado, Mark Webber, companheiro de Vettel, registrou ontem o terceiro tempo. E o piloto mais veloz do fim de semana até a classificação, Fernando Alonso, da Ferrari, com cara de poucos amigos após o treino, foi só o 4º.

Vencedor de cinco edições do GP de Mônaco, Michael Schumacher igualou sua melhor colocação no grid desde o retorno à Fórmula 1, no ano passado. Fez ontem o quinto tempo. "Andamos para a frente com o nosso carro, mas é impressionante como os concorrentes ainda estão distantes". Para Schumacher, ser um segundo e um décimo mais lento que Vettel, como ontem, numa pista de 3.340 metros, "representa muito".

Felipe Massa, da Ferrari, começa a corrida ao seu lado, em sexto, o que lhe exigirá atenção extra, pois o alemão assume riscos elevados na largada.

Hamilton era o maior candidato a largar na pole e acabou sendo a grande decepção no treino. Primeiro, foi surpreendido pelo acidente com o mexicano Sergio Perez (leia abaixo). "Quando reabriram a pista (faltando 2 minutos e 26 segundos), os pneus não atingiram a temperatura ideal", explicou.

Para piorar, havia feito o sétimo tempo, mas perdeu duas posições, punido por cortar a chicane - o tempo de sua volta mais rápida foi desconsiderado. Rubens Barrichello, da Williams, é o 12.º no grid. A corrida começa às 9 horas, de Brasília.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.