Toni Moraes
Toni Moraes

Vídeo flagra comportamento de tubarão ao lado de surfista em Fernando de Noronha

Tubarão-limão foi detectado por drone durante a bateria de Weslley Dantas neste sábado

Andreza Galdeano, enviada especial a Fernando de Noronha, O Estado de S.Paulo

15 de fevereiro de 2020 | 11h42

O comportamento dos tubarões nas águas de Fernando de Noronha durante o Oi Hang Loose Pro Contest está sendo monitorado por um drone. Neste sábado, um dos animais foi visto nadando ao lado do surfista Weslley Dantas.

O jet ski não precisou ser acionado, já que não houve o risco de acidente. "Esse vídeo mostra o comportamento do tubarão. Ele está passando praticamente embaixo no surfista e o atleta vira em sua direção. O animal até foge, ele não tem nenhuma intenção de chegar perto ou atacar. É nítido que a pessoa não é uma presa", explica Fabio Borges, responsável por monitorar as imagens.

Uma das maiores preocupações de Fabio é passar a ideia alarmante de ter um tubarão por perto. "Algumas pessoas não entendem que ele não vai atacar". O animal visto em Noronha é um tubarão-limão, essa espécie pode atingir cerca de três metros de comprimento.

"Eles gostam de aparecer em águas rasas e na beira do mar. Por esse motivo estão aqui, é uma questão de hábito", explica Fabio, que chega a detectar a média de sete tubarões por dia na Praia da Cacimba do Padre. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

IMPRESSIONANTE Os surfistas que participam da etapa do Oi Hang Loose Pro Contest em Fernando de Noronha estão recebendo visitas inusitadas: tubarões! Os animais marinhos foram detectados por drones como parte do esquema de segurança da competição de surfe. Até o momento, foram detectados cerca de sete tubarões por dia: "Principalmente em um ambiente reservado como Fernando de Noronha, os tubarões não precisam atacar pessoas", explica Fabio Borges, morador da ilha e responsável por monitorar as imagens da praia usando o drone. Saiba mais sobre o comportamento dos tubarões nas águas de Noronha no site do @estadaoesporte Toni Moraes/ Divulgação

Uma publicação compartilhada por Estadão (@estadao) em

"Ficamos monitorando para verificar se o tubarão está em uma posição que o surfista corre o risco de cair em cima dele. Se o tubarão está circulando ali na área de competição e o atleta acabar caindo, o animal pode se assustar e morder", conta Fabio. "Se não existir esse risco deixamos o animal passar".

*A repórter viajou a convite da organização do evento

Tudo o que sabemos sobre:
surfeFernando de Noronha [PE]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.