Vinte times e o mesmo sonho

As 20 seleções que sobraram das fases preliminares iniciam hoje a corrida final pelas cinco vagas africanas para o Mundial do ano que vem. Os concorrentes foram divididos em cinco grupos, com jogos em turno e returno. O ganhador de cada chave se junta à anfitriã África do Sul. O Grupo 1 tem Camarões e Marrocos, ambos com tradição em Mundiais. Os camaroneses, porém, ficaram fora do torneio na Alemanha, embora tenham chegado à final da última Copa Africana de Nações (perderam para o Egito). O grupo sob o comando do alemão Otto Pfister é experiente, mas envelhecido, e aposta nos gols de Samuel Eto?o, astro do Barça. A estreia será contra Togo, mas na cidade ganesa de Acra. O único estádio de Togo em condições de receber jogos de eliminatórias está fechado. Marrocos, sob a orientação do francês Roger Lemerre, recebe em Casablanca o Gabão, dirigido por Alain Giresse, que brilhou com a França nos Mundiais de 78 e 82.A chave B tem a Nigéria como destaque, apesar de também não ter obtido classificação para a Copa de 2006. A dúvida está no fato de o técnico Shaib Amodu ter problemas com o elenco. O primeiro desafio será contra Moçambique. A Tunísia é a segunda força.O Grupo C tem o Egito como destaque e a Argélia como possível sombra. Os egípcios, se não vacilarem, se garantem para o Mundial, e hoje pegam Zâmbia, que também tem um técnico francês: Herve Renaud. Os argelinos pegam Ruanda.Os outros dois grupos dificilmente terão espaço para zebras. A chave D tem Gana como favorita disparada , restando para Mali, Benin e Sudão o papel de coadjuvantes. Na E, a Costa do Marfim é a melhor seleção, à frente de Burkina Faso, Guiné e Malavi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.