Virada do Fla expõe as falhas do Santos

Equipe paulista chuta pouco a gol e amarga derrota na Vila Belmiro

Marcon Beraldo, O Estadao de S.Paulo

27 de julho de 2009 | 00h00

Sem um jogador para definir na área, o Santos atacou pouco e amargou uma derrota para o Flamengo por 2 a 1, de virada, ontem à tarde na Vila Belmiro. Foi o primeiro resultado negativo do técnico Vanderlei Luxemburgo na sua volta à equipe santista. Já o time carioca fez história: conseguiu a primeira vitória em Santos depois de 33 anos. O resultado melhorou a situação do Flamengo, que viveu uma semana turbulenta, com a queda do técnico Cuca (Andrade foi o interino), e agora tem 20 pontos. O Santos segue com 17.O jogo foi insípido no primeiro tempo. O Santos, sem o centroavante Kléber Pereira, entrou em campo com três volantes: Roberto Brum, Rodrigo Souto e Germano. Madson, Neymar e Paulo Henrique formaram o trio ofensivo. Mas ambos os blocos ficaram distantes, houve muitos passes errados e as finalizações foram poucas. As melhores foram uma falta cobrada por Adriano desviada pelo goleiro Felipe e um chute de Neymar defendido por Bruno.No intervalo, o lateral Pará revelava que Luxemburgo exigira do time mais "personalidade": "Ele pediu ao time para ficar mais atento com o Adriano e para definir mais rapidamente as jogadas". Já o meio-campista Kleberson, do Flamengo, contava que Andrade pediu marcação mais forte sobre os volantes do Santos, para isolar ainda mais os setores do rival."Quem sabe não vai ser hoje (ontem) que vamos quebrar o tabu de 33 anos", chegou a argumentar o treinador interino. Com o grupo ao seu lado, Andrade pediu e conseguiu:mais velocidade no segundo tempo.Apesar da marcação cerrada,Adriano conseguia ter vantagem em alguns lances e levava perigo. Aos 15 minutos, ele desviou um escanteio e o goleiro Felipe fez grande defesa, salvando com o pé. Luxemburgo resolveu fazer algumas substituições e, na saída de Roberto Brum, o volante demorou muito para deixar o campo e levou cartão amarelo, merecendo uma reprimenda pública do treinador. Luxemburgo levou sorte na mudança: mal entrou, Robson arriscou de fora da área e a bola entrou no canto esquerdo, aos 24 minutos. O Flamengo, porém, não se intimidou. Adriano empatou aos 32, com um chute de fora da área. E Pará, tentando cortar um cruzamento, marcou contra, aos 42. "Sentimos a falta do Kléber Pereira", admitiu Paulo Henrique. "Tivemos chances, mas não concluímos", resumiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.