Robson Fernandjes/AE
Robson Fernandjes/AE

Vitaly Petrov, o homem que orientou Fabiana Murer ao sucesso internacional

Técnico ucraniano ainda critica falta de infraestrutura oferecida ao atletismo durante visita ao Brasil

NATHALIA GARCIA - estadão.com.br,

24 de novembro de 2010 | 19h09

SÃO PAULO - Satisfeito com os expressivos resultados obtidos por Fabiana Murer no salto com vara na temporada 2010, o técnico Elson Miranda destacou a influência da filosofia do ucraniano Vitaly Petrov na evolução do atletismo brasileiro. Para dar sequência ao trabalho conjunto, ele conta com os conselhos do estrangeiro durante uma clínica ministrada para os melhores atletas da modalidade em São Caetano do Sul, entre 23 e 27 de novembro.

O treinador avalia que os ensinamentos adquiridos com Petrov, que já trabalhou com o ex-atleta campeão Sergey Bubka e hoje orienta a recordista mundial Yelena Isinbayeva, foi o "divisor de águas" de sua carreira. "Eu aprendi tudo com ele. Desde dar o primeiro passo, até toda a preparação que envolve uma competição. Ele me ensinou o que é trabalho e eu tento adaptar para as condições que eu tenho aqui", afirmou.

A falta de infraestrutura para a realização de um treinamento ideal no Brasil é alvo de críticas por parte do ucraniano. "Tem muito talento aqui, mas falta técnica, estrutura, os ginásios são longe. É importante melhorar isso para o desenvolvimento como um todo", disse.

Elson complementa que a evolução dos atletas fica comprometida com uma base deficiente e usa o desempenho de Fabiana como exemplo. "Ela está crescendo agora e ainda sofre com o que faltou antes. É muito mais difícil para Fabiana saltar 5 metros, do que Yelena saltar 5,20 m", avaliou.

Apesar das dificuldades, Fabiana tem conquistado seu espaço. Foi campeã mundial indoor em Doha, no Catar, ganhou a Diamond League e bateu os recordes sul-americanos em pista coberta (4,82 m) e ao ar livre (4,85 m) neste ano.

Mas o caminho não foi fácil. A saltadora revela que precisou mudar radicalmente seu treinamento para evoluir e atribui grande parte de seu progresso ao trabalho de Petrov.

"Quando ele veio, eu era recordista brasileira. Então, estacionei e decidi mudar radicalmente. Nos treinos estava melhorando, mas não conseguia resultados. Depois de dois anos, as coisas ficaram um pouco mais fáceis e o trabalho caminhou. Sempre acreditei no trabalho de Vitaly", comentou.

Agora ela quer aproveitar a vinda do técnico ao País para dar sequência ao programa iniciado em 2001. A motivação de tanto trabalho é o desejo da atleta de conquistar o Campeonato Mundial de atletismo, que será realizado na cidade de Daegu, na Coreia do Sul, em 2011. "O Mundial é a grande competição do próximo ano. Vou concentrar minhas forças para isso", projetou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.