Vitória da Ferrari. Derrota de Massa

Por ordem da equipe, brasileiro permite a ultrapassagem de Alonso e termina [br]em segundo lugar

Livio Oricchio, O Estado de S.Paulo

26 de julho de 2010 | 00h00

ENVIADO ESPECIAL / HOCKEINHEIM

Depois de dez corridas, a Ferrari voltou a vencer, ontem no GP da Alemanha, e com dobradinha, como na abertura do campeonato, em Bahrein, com Fernando Alonso em primeiro e Felipe Massa em segundo. Mas tanto a equipe quanto Massa sofreram uma derrota arrasadora.

Massa já está pagando um preço alto: perdeu a confiança de parte dos brasileiros por obedecer o pedido do seu time para deixar Alonso ultrapassá-lo quando liderava. E resgatou as tristes memórias de Rubens Barrichello, que fez o mesmo em 2002. A Ferrari, por sua vez, sofreu profundo desgaste de imagem, pode ver seus pilotos desclassificados pela FIA, além de ter de pagar uma multa de US$ 100 mil.

Massa assumiu a decisão: "Sim, deixei o Fernando me passar porque, se não fosse assim, ele não me ultrapassaria." Era a 48.ª das 67 voltas da prova no circuito de Hockenheim. "Fiz uma largada fantástica, mas não estava tão rápido por causa dos pneus duros." O engenheiro de Massa, Rob Smedley, disse no rádio: "Felipe, Fernando está mais rápido. Você entendeu a mensagem." Depois, falou: "Bom menino, desculpe."

Stefano Domenicali, diretor da Ferrari, argumentou: "Nós informamos Felipe do que se passava com seus pneus. Nossos pilotos sabem que devem agir visando primeiro o interesse da Ferrari." Massa já fez isso antes, assim como recebeu o mesmo tratamento. "Em 2007, meu companheiro (Kimi Raikkonen) estava em condições melhores que as minhas no campeonato, eu o ajudei a ganhar o título e ele fez o mesmo por mim em 2008." No GP do Brasil de 2007, Massa permitiu a Raikkonen ultrapassá-lo. E o finlandês abriu caminho, no GP da China, para Massa ser segundo e marcar mais pontos.

"Seguramente sim", respondeu Alonso à pergunta se faria o mesmo na condição de Massa. Na 21.ª volta, Alonso tentou a ultrapassagem na pista e viu que não seria possível. "Estávamos lutando roda a roda na curva 6, chegamos a nos tocar. Me veio à mente o que se passou com a Red Bull na Turquia", explicou. Sebastian Vettel e Mark Webber, pilotos da Red Bull, colidiram e perderam a dobradinha. Webber ainda foi terceiro.

Ao que parece, Massa não tinha noção, ontem, de como está sendo visto no Brasil. "Já provei na vida quanto profissional eu sou. Tenho um país que acredita em mim, infelizmente não estou em ótima situação no campeonato e fui profissional."

Diante do comportamento de Massa no GP da Alemanha está claro que as atenções da Ferrari se concentrarão em Alonso. Com o quarto lugar ontem, Lewis Hamilton, da McLaren, manteve-se em primeiro no Mundial, com 157 pontos, seguido pelo companheiro Jenson Button, quinto ontem, 143. Mas Alonso, quinto, chegou a 123 e entrou na luta. Massa segue em oitavo, com 85. Só vence, agora, se estiver em primeiro e entre ele e Alonso houver algum adversário. A 12.ª etapa do campeonato é já domingo, na Hungria. /L.O.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.