Vitória quer Corinthians de preto no calor baiano

Time da casa pensa em jogar de camisa branca para forçar rival a usar 2º uniforme; previsão é de 35 graus amanhã

Fábio Hecico, O Estado de S.Paulo

20 de novembro de 2010 | 00h00

O maior pesadelo para o Corinthians no ano. Assim os baianos estão preparando o duelo de amanhã entre o líder do Campeonato Brasileiro e o ameaçado Vitória, no Barradão. Estádio lotado, forte calor e até a possibilidade de obrigar os visitantes a jogaram de preto numa tarde ensolarada em que os termômetros devem alcançar 35 graus na hora do jogo (16 horas locais, 17 horas de Brasília) com sensação térmica de 45 graus no gramado.

"Vamos torcida do Vitória, encha o estádio, mostre quem é que faz mais festa em seus jogos e ajude-nos a confirmar que somos um time de primeira divisão", pede, a todo momento, a TV Vitória, canal destinado aos torcedores rubro-negros que aproveita, ainda, para provocar o rival Bahia. O apelo surtiu efeito na venda dos ingressos. Em poucas horas todos os 32 mil bilhetes foram esgotados.

A campanha da diretoria do Vitória prega escapar do rebaixamento ganhando os jogos no Barradão. Ela se iniciou na partida diante do Grêmio Prudente, dia 16 de outubro. O lema era "ganhar todas em casa para não passar perigo". O time fez sua parte nos 2 a 0 sobre os paulistas e com 4 a 2 diante do Vasco. Depois, perdeu para o Cruzeiro (1 a 0) e, agora, encara o Corinthians para encerrar o Nacional diante do Atlético-GO. No caminho, ainda visita o Internacional.

"Rapaz, eu torço para o Corinthians em São Paulo. Mas aqui sou Vitória e domingo (amanhã) temos de ganhar. O Corinthians pode facilitar para a gente, pois depois vai ganhar os dois e sair campeão", afirma, sorridente, seu Durvalino de Jesus, o Chacrinha, de 64 anos, fazendo questão de mostrar o chinelo personalizado com o símbolo corintiano. "A gente gozou muito com a cara dos torcedores do Bahia e eles querem dar o troco. Não vão conseguir. E mais, o Ronaldo não vai aguentar correr com o forte calor daqui, não."

Preparado. A última vez que o Corinthians encarou um forte calor foi ano passado, nos 37 graus de Presidente Prudente. Na época, o mandante Palmeiras fez questão de jogar de branco - o Vitória cogita repetir a tática - para o Alvinegro ter de usar preto, que retém mais calor. Naquele dia, Ronaldo atuou os 90 minutos e fez dois gols no empate por 2 a 2. Para evitar desidratação em Salvador, a comissão técnica corintiana levará bastante água de coco em caixinha e isotônicos para os jogadores. A ordem é beber bastante líquido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.